Quem te ajudou a chegar onde você esta? Ou, a importância do network


Isaac Newton não foi uma flor de pessoa, ele dificultou o acesso das mulheres às universidades, como chefe do tesouro permitiu empréstimos a seus afetos e negou a seus desafetos, com esta única base, afetos/desafetos, e daí a surpresa, quando em suas palavras, escreveu: "se cheguei mais longe que os outros homens, foi por que subi nos ombros de gigantes", um reconhecimento humilde às suas contribuições nas ciências exatas, e verdadeiramente escoradas em todas as descobertas prévias que aconteceram. 

Independente dos resultados e de quem inventou o que, Sir Newtoon reconheceu, em uma de suas últimas publicações, a contribuição de todos os grandes gênios que vieram antes dele. Um gesto tardio em vida, mas que o redimiu na eternidade. Sempre que penso nessa história, me faz tomar cuidado de nunca, nunca esquecer todos aqueles que me ajudaram a chegar onde cheguei, seja lá onde for isso, mas que foi com a ajuda de muita gente, foi.

Agradecer publicamente aqueles que te ajudaram tem se tornado um gesto raro. Se no passado, tratávamos dessa relação como algo entre mestre e aprendiz, hoje parece que o mentor foi relegado à filmes de caratê e ao Star Wars. A relação ainda existe, mas mais no meio acadêmico, no meio comercial, é mais raro... Reconhecer quem te ajudou, ajudar quem você puder, só faz bem, é como o conhecimento, quanto mais compartilhado, mais aumenta.

Agora, nem só de agradecimentos rasgados se faz esse reconhecimento. Uma indicação de um bom profissional, torcer pelo sucesso de seus amigos, compartilhar conquistas. Há tanto que se pode fazer para fazer o bem, e cuidar da sua rede de contatos. Eu nunca tive medo de indicar um concorrente quando sabia que meu produto não atenderia, e por sorte, tive chefes que reconheciam esse gesto, ao invés de forçar uma venda. 

Falando em reconhecer, e em pequenos gestos, quero falar de amigos que tenho, com valores e políticas semelhantes, que se ajudam demais: Vinicius Caravante, Claudia Cardilo e Marcelo Pimentel. Pessoas que não esquecem de seus amigos, dos que trabalham bem, dos que indicam com confiança. Não se trata da máxima: tem que ter QI, quem indica, por que indicar não é assim, só pela amizade. Ao indicar uma pessoa, sua reputação vai junto com a indicação, e quando a pessoa indicada não atende, salvo na política, em geral, sua reputação desce junto...

A Claudia Cardilo hoje tem um canal do YouTube, entre suas atividades profissionais, que se dedica à compartilhar conhecimento e entrevistas especialistas de diversos campos, para compartilhar o conhecimento. Marcelo Pimentel, com mais de 15 anos de indústria CAD/CAM, reconhece e conhece muitos profissionais que compraram treinamentos com ele, ou softwares, e se destacaram. São exemplos de pessoas que fazem a relação mestre mentor no dia a dia, nos pequenos gestos.

E você? No ombro de que gigantes tem podido se apoiar para enxergar mais longe?

Eu sempre quero agradecer aos que me ajudaram, desde meu primeiro estágio na Sisgraph, no ano 2000, aos dias de hoje, e felizmente, essa lista só cresce: Wilson do Amaral Neto, Wilson de Paula, Fabio Andreotti, Guto Drummont, Rogério de Siqueira, Vitor Hugo Jacob, Felipe Rosales, Ben Klein, Patrícia Guelfi, Cristiano Costa, Alexandre Macluf, e graças à Deus, essa lista segue crescendo. Pessoas que confiaram em mim e que me ensinaram muito. E todos e cada um dos meus alunos, claro, me ensinaram muito mais do que pude ensiná-los.