11/08/2017

21/11/2017 - INSCREVA-SE



O software de simulação pode ajudar a identificar diversos desperdícios em células ou fabricas. Ele pode dar uma visão geral, desde a localização e taxa de acúmulo de estoques bem como se uma mudança de layout afetará a quantidade de operador ou movimentação de produtos, podendo também mostrar como um projeto de seis sigma ou PDCA podem melhorar partes do sistema e se afetará a produção.
Mudanças no processo
Otimizar o espaço de sua instalação, reduzir os gargalos, minimizar o tempo de máquina parada (SMED), diminuir a ociosidade dos operadores, e reduzir o estoque (KANBAN).
Mudanças no Lay-out
E se nós adicionarmos outra máquina? E se nós nos mudarmos este processo para outro setor? E se tivéssemos uma nova máquina com menos tempo de indisponibilidade naquela linha de produção? E se este operador estiver responsável por ambas as máquinas?
Para o Plant Simulation todas as questões são variáveis de estudo para identificar e resolver problemas em sua produção.
Impressora 3D MakerBot
 
Ideal para projetos profissionais, o Replicador+ oferece a possibilidade de impressão de múltiplas peças e está preparado para o gerenciamento em nuvem através do MakerBot Print que permite importar arquivos nativos do CAD ou imprimir via Wi-Fi.

Com o MakerBot Print, você pode importar peças e montagens Native do CAD, organizá-las automaticamente durante a preparação da impressão e imprimi-las em uma ou mais impressoras
Wacom MobileStudio Pro
 
Wacom MobileStudio Pro 16 oferece um espaço de trabalho de criação maior com um desempenho gráfico superior.
                                                  
• Intel® CoreTM i5
• SSD de 256GB
• DDR3 de 8GB
• Gráficos NVIDIA® Quadro® M600M com 2GB GDDR5 VRAM


Um espaço maior para desenho, arte conceitual detalhada, pintura e escultura 3D, CAD 3D, gráficos de movimento e retoque e edição de imagens avançados.

11/01/2017

Convite: Indústria 4.0 - Como extrair benefícios à curto prazo



Neste evento vamos abordar como as tecnologias disponíveis podem auxiliar no planejamento, simulação e tomada de decisão na produção de forma inteligente.

1. A visão da Siemens PLM Software, líder global em gerenciamento do ciclo de vida do produto (PLM) e gerenciamento de operações de manufatura (MOM) com o Portfólio para Inovação Inteligente, ajudando os fabricantes a otimizar a sua Fábrica Digital e Realizar Inovação

2. Como o uso da simulação da produção pode apoiar a análise de alternativas de layout, visando o aumento de capacidade de produção?

3. Como a impressão 3D pode produzir dispositivos, máscaras, ferramentas especiais e berços acelerando a produção, diminuindo inventários e conduzindo a Lean Manufacturing. Aprenda sobre otimização topológica, inventário digital e o significado de digital-fisical hub.

4. O modelamento 3D otimizado para processos de fabricação.


Para saber mais e se inscrever, acesse: http://www.smartplm.com.br/convite.industria.4.0.html


10/31/2017

MakerBot Mini+ - Unboxing e Dicas


Pois é, meu relacionamento com a MakerBot está um pouco mais profundo. Não apenas produzi legendas de alguns vídeos, como também produzi, eu próprio, um vídeo de unboxing e dicas da MakerBot Mini+.

O vídeo está hospedado com a loja brasileira da MakerBot Store (http://www.makerbotstore.com.br) e você pode conferí-lo acima, ou no canal deles! https://www.youtube.com/watch?v=3F-0GZEOqv4


10/30/2017

Tutoriais sobre o novo cabeçote Experimental Extruder




Hoje a MakerBot soltou dois vídeos bem legais sobre como utilizar o cabeçote Experimental Extruder, um guia completo sobre a troca de bicos e também a parte de software.

Ao que tudo sugere, você precisa do cabeçote para ter acesso às configurações avançadas, seja como for, fica a dica do tutorial, ou melhor, tutoriais, que são excelentes! (já estou fazendo as legendas!)

10/19/2017

MakerBot retoma veia da liberdade de materiais em grandeestilo


A MakerBot retoma sua veia criativa e livre de amarras com o novo cabeçote Experimental Extruder, um cabeçote que não apenas é livre para experimentar novos materiais, ele também tem múltiplos bicos de extrusão, chegando a incríveis 0,8mm, capaz de imprimir em até 75% mais rápido que o bico tradicional.

Por fim, a cada novo material que você customize para impressão, você poderá compartilhar o perfil criado pelo Thingiverse, tornando os novos materiais e suas melhorias e implementações globais, uma plataforma apoiada pela comunidade, em todos os sensos possíveis.


É na próxima terça, estarei na terça com especialistas

 Tema da Palestra

Integrando Softwares Para Concepção Rápida em 3D



24/10 AS 20H ONLINE

Demonstração da criação do troféu Film Fashion Festival, promovido pela USP

com a utilização do 3D Builder, Paint 3D, TinkerCAD e as melhores práticas de impressão 3D que permitiram a criação de 5 troféus em um dia.

GARANTA SUA INSCRIÇÃO CLICANDO AQUI

10/09/2017

Outubro tem curso curso meu em São Paulo!


Num convite especial de muitas pessoas queridas, como a Delta Informática, revenda MakerBot e assistência técnica oficial, do maior portal de impressão 3D em português, o 3D Printing da Laura Lou e com o apoio da maior rede de ensino técnico do Brasil, o SENAI, em especial o SENAI Suíço-brasileiro, eu não tinha como recusar a chance de ministrar esse treinamento!

O treinamento será diferente de todos que eu já ministrei, com uma oficina de impressão 3D!

Vamos ver, é claro, a história, momento mercadológico e tendência, até por que Manufatura 4.0 está em foco e fazendas 3D serão uma extensão importante do assunto.

Mas vamos fazer muitos exercícios e operar diversos softwares: 3D Builder, conversão de 2D para 3D, Lithophanes, modelagem através do TinkerCAD e melhores práticas de impressão 3D nos fatiadores (posicionamento, questões como diferenças das peças impressas para injetadas), é sua chance, se já fez um curso comigo, de fazer a versão 1.5 do curso, e se não fez, de fazer a versão mais prática e orientada a resultados que já criei no curso

(Ah, se possível, traga seu laptop e saia pronto para causar boas impressões!)

Link de inscrição: https://www.sympla.com.br/impressoras-3d-fundamentos-e-aplicacoes__199746

9/30/2017

Indicações bibliográficas para Impressão 3D




Bibliografia: saber o que alguém fala é também saber de onde ele fala. Qual base? Qual literatura lhe dá bases?

Não tenho vergonha, ao contrário, tenho muita alegria em citar as obras que me permitiram chegar onde estou, e estou sempe aberto a conhecer novas obras, a aprender mais. Estes são livros fantásticos que tenho e tive a alegria, no caso dos livros brasileiros, de conhecer seus autores.

Neri Volpato, Dr. Jorge Vicente Lopes, Cristiane Ulbrich, pessoas que admiro demais, com quem aprendi demais e que um dia, espero até, ser lembrado por elas por alguma ajuda que eu possa ter dado.

Recomendo, de coração, estas obras. Lidas, entendidas, e aprovadas.

A small disclaimer - esclarecimentos


O blog mudou de aparência para algo que eu estava buscando faz algum tempo, ultra clean.

A razão é bem simples. Os anúncios não funcionam. Eles estão aí, mas não estão funcionando. Só ficam poluindo a página, distraindo do texto. Ajudando ninguém.

O conteúdo do blog também vai mudar. Ele será o que ele é, um blog. Mais do que estou fazendo, onde estarei palestrando, e pequenas partes dos livros que estou desenvolvendo. O conteúdo técnico mais profundo estará em outra página, à partir de agora, eu vou escrever para a Laura, no www.3dprinting.com, e conforme ela ache um texto ou tutorial bom, ela publica ou divulga por lá.

Agradeço a todos que me procuraram para divulgar suas empresas aqui, eu realmente esperei ajudar mais com esse conteúdo, do que pude fazer.

Se você quiser algum conteúdo em especial, ou a volta de algum quadro que o antigo blog tinha, me escreva, e eu vou tentar ajudá-lo com isso.

Obrigado, e até a próxima.

9/28/2017

Poder de criar! Semana Brasileira da Moda

Arte da Teruko Saito

Ontem estivemos realizando um hands-on de wacom e impressão 3D MakerBot, pela primeira vez, unidas, com alunos e visitantes da #SemanaBrasileiradaModa, um evento fantástico hospedado pela USP Zona Leste, e que acontecerá esta semana toda. (hoje tem drones lá, com o Professor Edson!)

Foi mágico ver pessoas que nunca utilizaram a tecnologia de mesas digitalizadoras, as tablets originais, antes do iPad, para criarem colares, brincos, pingentes, pulseiras, desenharem com aquele traço maravilhoso, típico de alunos destes cursos, e verem saí, ali na frente deles, modelos prontos físicos de suas ideias.

Sem dúvida esta tecnologia é mandatória para pular etapas no desenvolvimento. Também foi interessante ver a surpresa verídica dos alunos, onde mesmo lendo as medidas na tela do computador, ao terem o item físico, alguns se surpreendiam, "nossa, ficou pequeno, né?", "nossa, que grande que saiu a peça". Era do tamanho que haviam desenhado, era do tamanho que li na tela do computador para eles, mas a diferença de um conceito em 2D para 3D, sempre surpreende.

Indiferente a isso, ver olhos brilhando de pessoas que saíram com suas ideias prontas, materializadas, desenhadas por eles e impressas em 3D, para muitos, seu primeiro contato com uma impressora 3D já foi sair com uma ideia sua, criada por eles, dali.
Arte da Fran, aluna da USP ZL

Sobre a Wacom, tínhamos 4 modelos: tínhamos o modelo básico, One-by-Wacom, o modelo Paper, que serve como prancheta de desenho, sem conectar ao computador, mas que vai armazenando na memória, tudo que o desenhista colocou no papel sobre ela, e depois sincroniza com o computador. Tínhamos a Cintiq, que é uma tela extra ao computador, permitindo desenhar já no digital e olhando e desenhando para a mesma região (diferente de quem usa um mouse, por exemplo, que olha na tela e desenha com a mão ao lado do monitor), e tínhamos uma bamboo spark, que funciona como a Wacom Paper, mas sincroniza com o iPad ou Android, pulando a necessidade de um computador.
Criações da yasmin, clara, juliana, amanda

Foi um evento lindo, e tenho vontade sincera de mais hands-on como este último.

9/27/2017

Digital-physical hub

Digital-physical hub, assim são chamadas as impressoras 3D no contexto da Manufatura 4.0.

Através dela, podemos materializar em questão de horas desde peças finais a dispositivos produtivos, assistindo a toda a cadeia produtiva.

Quando várias impressoras 3D são utilizadas para a produção de um mesmo item de uso final, brinquedos, calçados, capas de celular, isso é chamado também de Fazenda 3D.

Com o dinamismo cada vez maior da mídia e bens de consumo, novos celulares a cada um ano, modas como pokemon go que durou 3 meses, mas faturou mais de 300 milhões de dólares, a moda oriunda de um filme, como Minnions, ou sem origem clara como os spinners, fica cada vez mais difícil competitir e surfar nestas modas com processos produtivos convencionais.

Produzir um molde de injeção é caro, lerdo e confia que milhares de seus produtos serão vendidos, sem isso, o pagamento do molde jamais será atingido. O mesmo vale para outras máquinas e processos convencionais.

Somente através da materialização de projetos da noite para o dia será possível manter-se no jogo. um jogo que conduz a indústrias cada vez mais automatizadas, mas que também leva a possibilidade competitiva a todos os lares.

9/23/2017

Viagens e troféus online!


Este mês de setembro foi bem legal. Passei em único mês, por 3 das principais capitais das américas, Nova York, São Paulo e Buenos Aires (e minha cidade, Mar del Tuyú, devo acrescentar).

Em meio a tantas viagens, claro que o blog padece, e por isso eu sinto muito. Mas queria aproveitar para dizer como tem sido interessante contar com alguns recursos, o chamado Setup Móvel.

Primeiro, comprei um LENOVO 110S ideapad em Nova York, por 149 dólares, que é simplesmente fantástico. Tem a configuração de um tablet, 32Gb de memória, 2Gb de RAM, tela de 10.1 polegadas, e o exagero de 3 portas USB, saída HDMI normal e entrada para micro-SD card (com um de 64Gb colocado lá), mas a vantagem é que roda Windows 10 completo!

Já passei por iPad, por Surface com Windows RT, por MacBook Air. Não adianta, quem trabalha no campo, precisa de um windows completo. Rodar softwares de diagnósticos, conectar com experiência completa com as MakerBots (o MakerBot Print para Mac não abre os formatos CAD, apenas no Windows). E com isso, e até mesmo para uma experimentação online mais completa, é importante ter um windows completo.

Eu, que antes carregava o iPad, um Laptop, adaptador 30pinos-HDMI, 30pinos-VGA, Thunderbolt-HDMI, Thunderbolt-VGA, carregador do iPad, carregador do lapto, carregador do celular, hoje viajo com laptop, adaptador HDMI-VGA e carregador do celular. A mala ficou muito mais leve!

Outra coisa que tem ajudado minha vida. Semana passada tivemos, a Alcateia e eu, que desenvolver um troféu para premiação de um evento que ocorrerá na segunda. o Designer fez um troféu muito bonito, mas apenas em JPG, não em 3D. E isso era quinta feira! O troféu é para segunda à noite.

Como desenvolver um projeto na quinta, para entregar, cinco deles, na segunda? E designer 2D, designer 3D e impressora 3 três cidades diferentes ao mesmo tempo? Só com a MakerBot e o Tinkercad!

Através de ferramentas como 3D Builder da Microsoft, foi possível capturar em 3D as formas orgânicas, não geométricas do prêmio. Depois, foi a vez de modelar o logo do trofeu e sua base, os 3 F's maiúsculos e a base do prêmio. Desde a Argentina a modelagem foi terminada, validade com a cidade universitária da USP e enviada para impressão no centro de São Paulo, tudo pela internet e tudo online, através do portal http://my.makerbot.com. Troféu modelado, aprovado e montado, na mesma quinta feira!

Sem problemas: abro o TinkerCAD, desenvolvo o troféu, uma vez satisfeito, desmonto o troféu para ter máxima área plana (reduzir tempo de impressão, de suporte, volume horizontal), crio os encaixes de mando ver na impressão, desde Mar de Tuyú, na impressora da Alcatéia em São Paulo, conversando e confirmando com o designer via Skype, também em São Paulo, mas fora da Alcateia.

Foi uma experiência única, somente possível pelo conjunto de ferramentas que a MakerBot oferece: impressão via WiFi, software fatiador via Browser, boas webcams nas impressoras, e integração completa e nativa no TinkerCAD.

A mala ainda mais leve, a vida mais fácil, e dá para desfrutar mais de tantas viagens.

9/20/2017

Como calcular o preço por serviços de impressão 3D



Vejo muitas, muitas pessoas com dúvidas sobre como cobrar por serviços de impressão 3D, por isso vou deixar aqui essa aula que dei na Faculdade Belas Artes, a convite do digníssimo Prof. Sandro Ferraz, junto com um exemplo:

Existem várias forma de cobrar por impressão 3D, amortização do equipamento, mais material, mais custo de consumíveis, mais luco e impostos, mas para não ficar no campo fictício, vamos a um exemplo tangível:

Vamos dizer que você comprou uma impressora 3D por 10.000 reais. E você quer que esse item se pague em um ano, e quer ter lucro de 15% por trabalho. Quanto cobrar?

1) Descubra quanto custa sua hora:

Um ano tem 2000 horas úteis (descontando duas semanas de festas, oito horas por dia, por 5 dias por semana, por 50 semanas). Seu custo hora direto (sem contar eletricidade, aluguel do escritório, café) é R$ 10.000 / 2000 horas = 5 R$/h.

2) Cobrar o material? 

Eu recomendo. Pois muitas máquinas permitem o uso de diversos materiais, e assumir que só vai vender PLA é perder a longo prazo. Cobre o material por fora, por grama, por centímetro cúbico, como quiser. O PLA do mercado livre custa, em média, R$ 120,00 por 1000 gramas. (a densidade do PLA é de 1,04, ou 4% mais denso que a água, o que significa que 1 cm³ = 1,04 gramas, para fins de facilidade, vamos arredondar 1 cm³=1g). Seu custo direto do material (sem contar frete) é R$ 0,12/grama.

3) Lucro? Impostos? Tempo ocioso coberto pelo tempo pago?

Existe uma longa matemática que demonstro na aula que dei na Belas Artes, mas também existe o chamado número mágico. Vezes 4. Isso aborda lucro, impostos e compensação do tempo parado dentro do tempo ocioso, com média de 1:3, ou seja, cada hora trabalhada cobre, 3 horas parada (tempo sem cliente, tempo prospectando, tempo fazendo orçamentos).

4) Então quanto?

Se sua máquina custou 10.000 reais e você quer pagá-la em 1 ano, seu valor de cobrança é de R$ 20 reais a hora e de R$0,50/grama do material. Como o número mágico não cobre consumíveis (na MakerBot a expectativa é de gastar um cabeçote a cada dois anos, mas vamos prever o pior cenário possível, um cabeçote ao ano, cada um custa R$ 1.500,00 reais), vamos arredondar tudo: R$ 30,00/h de serviço e R$ 0,50/g.

Valeu a dica? Curte e compartilha! Ajude o blog a se manter relevante! ;)

9/19/2017

3DHUBS Q3 report

A 3DHUBS, com 7000 prestadores de serviços e 200.000 impressoras 3D conveniadas é um dos maiores bureaus online de serviços do mundo. Ela atua como intermediária entre os pequenos prestadores e os conpradores de serviço, realizando filtros que se iniciam na escolha de materiais a até um filtro geográfico, sobre quem é o prestador mais próximo a você.

por aceitarem pagamentos por paypal, que não é uma modalidade popular no Brasil, o grupo acaba pouco conhecido em terras tupiniquins, já que apenas a interseção dentre: querem comprar serviço de impressão 3D, possuem impressoras 3D para prestar serviços e quem conhece o paypal dentre os dois grupos acima acaba utilizando o serviço.

Mesmo assim, uma base de 200.000 impressoras 3D não é despresível para se pintat um retrato do mercado 3D atual. No report se destacam algumas curiosidades.

O FDM é o meio esmagador que mais pessoas utilizam dentre as formas de impressão 3D. No FDM os materiais mais populares são o PLA seguido do AbS, e a cor mais utilizada é o preto, seguido do branco e do cinza.

Na localização mundial, Nova York é de longe o maior comprador de serviços, e no Brasil, a Seth3D é a líder, a máquina mais usada no país, somando mais de 8% entre marca e modelo. (como o cadastro do modelo e da marca são feitos pelos inscritos, e há muita confusão entre os novatos no setor sobre qual marca e qual modelo possuem, por vezes a mesma impressora pode aparecer das mais variadas formas, dificultando a soma correta, erro de grafia, erri no preenchimento do formulário de inscrição, levam a essas distorções nos dados).

A MakerBot, que já foi líder, ocupa um terceito lugar no painel mundial, mas o que impressiona é que no computo da base, ela ainda figura por conta das máquinas antigas MakerBot 2 e 2X. Isso pode se dar uma série de fatores: as máquinas duram muito, o distanciamento da marca da comunidade, ainda por conta de fechar seu código, ou o novo posicionamento de preços das máquinas novas, muito mais voltadas a usuários finais que para prestadores de serviços.

As máquinas novas mal aparecem no relatório, mas isso pode mudar em brevr, com duas novidades muito quentes na família Quinta Geração Plus, uma destas novidades já sai mês que vem, e tenho certeza que vai agradar.

para acessar o relatório na íntegra, acesse:
https://twitter.com/3DHubs/status/893562213616820224

se quiser se inscrever como prestador de serviços acesse:

https://www.3dhubs.com/list-your-service

9/06/2017

Windows RT, a novela (5/9)

Windows RT, a novela (5/9)

Fico feliz de escrever que fiz as pazes com meu surface RT. Na verdade é com dor no coração que vou colocá-lo a venda.

A bateria de 14 horas de duração, o conector micto HDMI, e o adaptador micro-HDMI para VGA o fizeram o companheiro perfeito para viagens e treinamentos.

Semana passada foram sete palestras, muito tempo longe de carregadores, e tudo funcionou perfeito. O fato que o Windows RT inclui um office de graça também é ótimo, pois assim, não preciso pagar licença, nem recorrer a pirataria.

Minha grande bronca com ele era não poder instalat os aplicativos para as impressoras 3D, mas graças a seus concorrentes, nem isso foi um problema. Veja, com o Google Chrome sendo a máquina de escolha de 58% dos estudantes norte americanos, com o MacBook Air em segundo lugar, fazendo quase 70% de computadores novos, todos anos, não rodarem Windows, a MakerBot criou um portal que te permite iniciar e terminar uma impressão 3D diretamente do seu navegador, seja ele um Chrome, de um ChromeBook ou o Edge, do Windows 8.1RT. Então dos sete workshops, em seis isso não foi um problema, e em um, foi uma vantagem, pois foi justamente no workshop de educação com a Google, e seus ChromeBooks.

E então, por que vou vendê-lo? Apenas por que para os softwares de tecnico, eu preciso de alguns aplicativos particulares, que ai sim, não rodam no navegador. E como vou para os Estados Unidos fazer justamente esses cursos técnicos, comprar uma solução de Surface Pro, não vai custar quase nada.

Pois assim, encerra-se meus problemas. Fiz as pases com meu Surface RT, com quase dois meses de uso exclusivo nessa plataforma, e saio feliz, deixando o primeiro computador leve, e completo, de fato, que ja tive.

Pela primeira vez, em muito tempo, sinto que achei minha plataforma de escolha. E com a vantagem que no Surface Pro 2, ainda vou poder instalar, agora também, Insight, MakerBot Desktop, MakerBot Print e o aplicativo da Microsoft, 3D Builder.

Minha carreira de Power Point engineer acaba de ganhar um up!


Enviado via iPod

Windows RT (23/07/2017)

Windows RT (23/07/2017)

Faz um mês que estou quase que só o Surface 1. Tenho também um tablet android 4.0 da Samsung, que roubei do meu pai, um iPod Touch 1, com iOS 4.1, e um Windows Phone 10. E como foi até agora.

Primeiro, o surface é mesmo lindo, leve, e esta é só a versão 1, com Windows RT 8.1 SP 3. O hardware é confiável e o teclado é ótimo.

Mas... Não é só uma questão do Windows RT dar sinais do tempo. Ele está datado, tem pouca coisa na loja que sirva para ele, embora devo dizer que das três lojas, Apple, Google e Windows, os preços da Windows Store são ótimos, e é a unica loja que vende seriados no Brasil.

Eu sei, sou um imbecil por pagar por seriados, "baixa do torrent", todos me dizem. E eu digo: pensem nisso quando reclamarem de corrupção... Eu compro seriados, e musicas, e video clips, e filmes. E só baixo torrent se for impossível achar no brasil por alguma razão...

Agora, voltando ao surface. Não se trata só do peso da idade, como eu dizia. Certo que alguns sites já não rodam bem no IE. E não da para por outro navegador. O Office é ótimo, as coisas no modo desktop funcionam bem. Mas são poucos programas.

Agora, o pior mesmo é que a própria Microsoft não suporte o Windows 8.1 RT. Quase não há nada da microsoft na loja dela própria. E o que tem ja não roda em Windows RT.

Não deveria ser um surpresa, já que desde os tempos do Palm, a Microsoft lança OSs incompatíveis com as versões anteriores desses OSs...

Não é diferente que a própria Apple vem fazendo. Antes, o iPhone aceitava de tudo, de repente, eu preciso de novos iPhones para fazer o mesmo que eu fazia antes.

Olha que não me faltam iPhones: 3, 3GS, 4, 4S. Hoje, todos distribuídos entre familiares da minha esposa, pois para mim mesmo, não servem. Os que rodam whatsapp: 4 e 4S, em ambos, não a última versão. Ubber, era só no 4S, pages também.

Mesmo assim, o iphone 4S só chega ao iOS 9, e já há um mundo de coisas incompatíveis com ele.

Obsolescencia programada define Microsoft e Apple. E também, por culpa dos fabricantes, que não atualizam seus devices, o Android...

Estamos lascados.



Enviado via iPod

Windows RT update (5/7/2017)

Windows RT update (5/7/2017)

Pois eu comprei um Microsoft Surface Windows 8.1 RT. E devo dizer, estou muito feliz com ele. Ele é realmente leve, sexy, o teclado da Smartcover é mágico, preciso e com trackpad de mouse com dois botões.

É como um iPad, mas com mais recursos, que lhe faltavam, e todos sabem: saída USB, entrada SD Card, teclado não bluetooth, (adaptador OTG), a capa teclado do Surface tem um conector e imãs que o fazem funcionar, e não me proibem de usá-lo em aeroportos e aviões, e com um quick-stand, uma ranhura na parte trazeira que faz a tela ficar na posição de um laptop, sozinho, sem precisar capa para isso.

Para ter esses mesmos recursos num iPad, eu precisaria de um adaptador OTG que fosse reconhecido pelo iPad (ainda não achei um que fosse), tanto com porta USB como leitor de cartões, uma capa para fazê-lo para de pé, e um teclado bluetooth, a menos que fosse o iPad pro, que usa o mesmo conector do surface.

Como o Surface ainda tem saida Micro-HDMI padrão, também esses dois dogles seriam necessários para empatar as funções dos dois aparelhos. No final, parq usar um iPad como computador, você leva também uma sacola de cabinhos, brancos, caros, e frescos, que mesmo originais em algum momento vão te falar: dispositivo não compatível com esse device.

Para falar do Windows RT, ele não é bom. É a segunda tentativa da Microsoft de justificar um Windows mais barato, sem fazer quem pagou pelos outros Windows ficar chateado (#chatiado). A primeira foi a Starter Edition, que só permitia três programas em execução ao mesmo tempo. A segunda, o RT foi feito para rodar em preocessadores de celular, e só se instalar programas nele pela Windows Store. Na época nem a Microsoft usava sua própria loja, e para diminuir a rejeição, esses windows vêm com uma licença full do Office já instalada no Windows.

No terceiro e último grande update que instalei nele, ele emula uma interface do windows 10 agora, mas ainda é uma versão 8.1 incompleta que roda por baixo.

Nele não deu para instalar os programas da Stratasys, como havia previsto, mas o 3DBuilder da Microsoft é um app universal! Roda no windows desktop, tablet e celulares! A Autodesk também caprichou, de novo, e tem vários apps universais disponíveis: Circuits, CAD 2D, visualizadores.

Então, em resumo, eu tenho um tablet que se comporta como laptop, com office completo, com aplicativos para 2D, 3D e programação (na loja tem um até para arduino, imagina, programar um arduíno desde seu tablet!). É obscenamente leve e tem conector magnético de carga, dando mais proteção ao aparelho. Ah, e da para colocar um mouse nele!

No final, com os 128Gb que ele oferece, 64 nativos e 64 no SD Card, eu fico chateado de não poder instalar o Insight nele, mas por outro lado, quanto custaria um iPad de 128 Gb mais todos os acessórios que o surface oferece: teclado, porta USB e Micro-HDMI, e no iPad eu ainda não poderia ter o Insight, ou outros programas CAD, quisá um mouse...

Em comparação com outro 2 em 1, o Positivo ZX3010 que também tive, que adianta ter um Windows completo, com só um terço da bateria do Surface e zero espaço para programas de qualquer jeito? O Positivo vinha com 16Gb de memória, e ainda que tivesse espaço para SD Card, não da para instalar programas no cartão, só na memória principal. Ah, 16Gb é o quanto ocupa o windows 10, pack de idiomas e o Office. Mas sobra espaço pqra o VLC e 7zip, então, uma cópia do windows completa desperdiçada, anyway!


Enviado via iPod

Windows RT (4/5/2017)

Windows RT (4/5/2017)

Alguém sabe se o Windows RT foi descontinuado? Vi recentemente a tablet Surface da Microsoft com o Windows 8 RT e vi que o aparelho esta bem barato.

Praticamente o mesmo hardware entre dois aparelhos, a versão com Windows RT esta 600 reais e a versão com processador Intel está 3990 reais.

Para o Windows RT existe o Office, mas não tudo que estiver na Windows Store. Tem que buscar por aplicações ARM, especificamente. São os chamados apps universais. No meu caso isso não impede 3DBuild, 3DScan, Paint3D, e como esta no windows store, nem impede Arduíno ou CAD, como tinkerCAD, que roda via browser...

Por outro lado, pelo que demonstrou meu MacBook Air com GNU/Linux Ubuntu Mate até agora, não tenho, nem na loja, estes mesmos programas... Isto é, tenho o Blender, mas ainda não consegui instalar nem o Cura, nem o Repetier, nem o MakerBot Desktop...

Ao menos o Surface RT tem Saída micro-HDMI e teclado na smart cover. Mas não instala o Insight, nem o Objet Studio e muito menos aplicativos da MakerBot. Mas é barato, leve, sexy, com uma porta USB, e tela de toque.

O Positivo ZX3070 tem um hardware parecido, 300 reais mais caro, e roda uma versão completa do Windows, mas é positivo. Até da para instalar o Office, Insight, Objet Studio, se o espaço em disco permitir e ele é exímio, mínimo, pouco, muito pouco. CAD nem pensar, se não for pelo TinkerCAD, que elas por elas, também roda no Windows RT.

O MacBook corre por fora, 64Gb de disco tem pouco espaço, apenas as aplicações MakerBot têm compatíveis com o MacOS, mas o MacBook Air é pesado, pouco prático e esta com o teclado quebrado. De bom mesmo, nada. Tem uma saída DVI que me obriga a ter um adaptador VGA, um HDMI, e o mesmo par de adaptadores para o iPad. Cabo de força, pendrive, HD externo, adaptador para SD Card, e minha mala pesa 20 toneladas. Para carregar algo leve. Sem mencionar o adaptador USB-Ethernet...

Estou pensando muito no Microsoft Surface RT, mesmo datado, parece ter a melhor relação custo benefício. Ao menos para este curto capítulo da minha vida, de trabalhador e palestrante.

Mas não sei. Só sei que nada sei...




Enviado via iPod

9/05/2017

Steam. Impressora 3d. Você e eu.

Steam. Impressora 3d. Você e eu.


Com a inpressora na sala de aula nos podemos produzir escavações paleontologicas num vaso,

Encontrar e montar ossos de dinossauros, explorar o cretácio, entender fossilização, deposição de minerais.

Aprender por que o carrinho impulsionado a bexiga vai para qualquer lado com pneus finos, vai lento em linha reta com pneus bem grossos e qual é o meio termo, para uma competição em sala de aula.

Podemos estudar diferentes terrenos e formações zoológicas, estruturar esse terrenos. Pode montar pontes e aprender seu funcionamento e o princípio de tração, compressão, momento torçor, compreender desde como ela resiste ao peso de 1 a 3 bqtatas, como ela quebra com quatro batatas e evoluir esse pensqmento para resmat se for preciso.

Podemos calcular áreas e volumes e formas geométricas com umq fqcilidade incrivel. Sem decorqr formulas como 2pi raio (dois pirralhos, ilustrar com foto dos meus filhos).

Podemos aprender melhor portugues, conectando radicais, radiciandos, prefixos, sufixos (como era no museo da lingua portuguesa).

Podemos em fim, fazer, e ap fazer, lembramos do que ouvimos, mais do que quando lemos, do que quando vemos, do que quando discutimos; pois fazer implica todos esses conhecimentos.

Ao fazer, ao materializar, conhecemos. E o futuro depende que formemos bem as gerações que estão chegando. Um futuro de pouco emprego, e de muita necessidade no diferencial individual, na capacidade de pensamento criativo bem estabelecida.




Enviado via iPod

8/29/2017

Novo caso de sucesso MakerBot - Local Motors Veículos especiais


Além de ser um caso muito interessante de sucesso com a MakerBot no mercado auomotivo, em veículos especiais, também marca o início da minha contribuição com a MakerBot no campo das legendas.

Como o processo de legendar se dá sem ver o video, que ainda era sigiloso, eu vi agora que há algumas mudanças para realizar, mas tirando isso, estou bem contente pelo convite, a possibilidade de ajudar e, claro, pelo caso de sucesso com algumas MakerBots no cliente.

Confira o vídeo e deixe seus pitacos!

8/24/2017

LWT promove o primeiro webnar de Magics em 5/9

DATA DO PRÓXIMO WEBINAR DE MAGICS
05/09/17
O 1º Webinar de MAGICS será ministrado no período da manhã das 9:30 ás 11:00
Todas as inscrições para o 1º Webinar de MAGICS deverão ser feitas através desse link
Para quem não conhece, Magics, da Materialise, é o software mais poderoso de edição de arquivos STL, extremamente completo, permite gerar suportes customizados, editar cortes com pinos ou sem, remodelar a malha, restaurar defeitos, corrigir peça, unir e separar partes (operações boleanas), entre mil coisas mais.
Venha assistir ao webnar e conhecer uma parte do poder de fogo deste software sensacional.

8/22/2017

MakerBot Global | Brazil - UNIFEBE University




Os casos de sucesso da MakerBot no Brasil já são muitos, mas publicá-los é outro tema, demora, demanda autorizações, mas é uma alegria vê-los se materializando.

Já tivemos o sucesso da Colgate, Promoponto, LWT e MakerBot, agora, UNIFEB e MakerBot, caso de sucesso da WishBox, de Santa Catarina.

Venha conferir essa história, e esta sala espetacular de criação.

LWT promove workshop de impressão 3D em agosto!



Mais uma vez a LWT Sistemas mantém a tradição e promove o seu já tradicional workshop sobre impressão 3D, grátis e disponível em dois períodos, manhãs, das 8:30 às 12:00 e tardes das 13:30 às 17. Escolha o horário que lhe for mais conveniente, e compareça!

Um workshop muito aberto que mostrará as principais tecnologias industriais de impressão 3D, SLA, SLS, LOM, PowderBinder, MJM e FDM, suas variações após a queda das patentes e seus potenciais de uso.

Tudo isso com uma passagem pelo rico showroom da empresa, na Avenida Kennedy, 164, 6º andar, com uma Fortus250mc, uma Objet Desktop 30Pro, uma MakerBot 2X, uma MakerBot 5a geração e uma MakerBot Mini, além de um mostruário de peças impressionante!

Compareça, é grátis, e muito interessante: https://credencial.imasters.com.br/lwt-sistemas-printingday-20150901144414-20150922133844-20160105095842-20160201090833-2-2017071811033

8/21/2017

The Ultimate Filament Strength Showdown!



Devan tem se tornado meu herói pessoal em impressoras 3D, não apenas ele desenha bem demais com uma caneta 3D, como ele também é muito bom em achar o que fazer com a impressora 3D, como um teste ao longo de 24 marcas e rolos que ele tinha pela casa.

Como ele mesmo declara, o objetivo era ver se os materiais prêmium são mesmo melhores que aqueles sem marca, e logo, mais baratos. Só quero que você veja onde a MakerBot acabou posicionada nesse teste...


8/18/2017

Por PrintFacturing: Impressora 3D barata é sinônimo de impressão ruim?


NÃO. Essa é a resposta. E definitivamente, não. Estive observando algumas características das impressoras mais baratas disponíveis no mercado brasileiro não pude deixar de notar alguns pontos fortes comuns da maioria delas.

Quando falamos de impressoras 3D de baixo custo, no Brasil, na verdade não estamos falando exatamente de impressoras baratas, mas sim nos referindo às menos caras do marcado. E digo isso porque os menores preços encontrados para impressoras 3D em terras tupiniquins beiram os 2 mil reais, e são modelos custam entre 200 e 300 dólares nas terras do tio Sam. Algumas ultrapassando a casa do 4 mil reais.

Os preços são diversos, mas uma característica é unânime: todas elas derivam de um mesmo projeto, com origem no movimento RepRap, e são, inclusive, muito parecidas fisicamente.

Observando alguns detalhes de construção e funcionamento, um ponto em especial me chamou a atenção: a maioria é do tipo “cartesianas”, com frames em MDF ou acrílico, cuja mesa avança e retrai, para frente e para trás, sempre no mesmo plano XY, enquanto o extrusor trabalha lateralmente, para a direita e para a esquerda, e também sobe no eixo Z conforme a peça impressa cresce na direção de Z.

Uma das principais vantagens deste sistema é que o plano XY em que a mesa trabalha fica a uma distância relativamente pequena da superfície onde a impressora está apoiada, e isto resulta em menos vibração com relação aos modelos cuja mesa começa lá em cima e vem descendo conforme a peça “cresce”.

Mesmo com a vibração da mesa que se movimenta para frente e para trás, esta característica é uma vantagem, e a explicação tem base nas leis da física: quanto maior é a distância entre a mesa (da física, braço), maior é a amplitude do movimento ou vibração que a impressora faz (força física conhecida como momento).

Mas aqui cabe bem duas ressalvas: para garantir que esta vantagem seja, de fato, uma vantagem (1) a superfície em que a impressora está apoiada deve ser estável, tal como uma mesa ou bancada com 4 pernas fixas e firmes, uma bancada de alvenaria ou concreto, ou qualquer outra superfície que seja estável o suficiente para não ser balançada com as mãos, e (2) os eixos da impressora devem estar devidamente limpos e lubrificados com uma pequena quantidade de “óleo de máquina” ou qualquer outro lubrificante para partes móveis recomendado pelo fabricante.

Fora isto, um outro fator confere vantagem para as impressoras de menor custo: elas utilizam, em geral, o sistema “direct drive”, em que o “motorzinho”que puxa e empurra o filamento fica instalado logo acima do extrusor. Tal fato é vantagem com relação ao sistema “bowden”, que é aquele em que o motorzinho fica atrás da impressora, e conduz o filamento através de um “tubinho” de material antiaderente, seja ele teflon ou qualquer outro. Esta vantagem consiste no fato de que a precisão do movimento de retração da impressora é maior quanto mais perto o stepper (motorzinho) fica do extrusor, resultando em menos “blobs”e “cabelinhos” na impressão. Além do mais, o “direct driver” oferece uma facilidade muito maior ao se trabalhar com filamentos flexíveis, que pode se tornar uma tarefa impossível em uma impressora com sistema “bowden”, dependendo da composição do filamento flexível.

Como é de se esperar, o “direct driver” apresenta também desvantagens, sendo a principal delas o fato de agregar mais peso ao “cabeçote” da impressora 3D, tornando-a naturalmente mais lenta que as impressoras com “bowden”. No entanto, o assunto central aqui é a qualidade das impressões, ficando a velocidade de impressão em segundo plano conforme esta abordagem.

É claro que, apesar das vantagens e desvantagens de cada tipo de impressora, o mandatório para garantir uma impressão “lisa” e de qualidade vai além da construção da impressora, ou do fato se a mesa de impressão desce, anda para frente e para trás, se o motorzinho fica no cabeçote ou atrás. O fator crucial para obter uma ótima impressão é o conjunto de configurações entre velocidade de impressão, altura da camada, velocidade e distância da retração, ausência ou presença do cooler, bem como sua velocidade de trabalho, entre outros fatores.

Dado que cada impressora, materiais e lotes de filamento são diferentes, o melhor caminho para chegar em uma ótima impressão é a experimentação, a tentativa e o erro, as trocas de experiências e as visitas ao caderninho de anotações. Em suma, obter uma impressora de qualidade tem mais a ver com a perspicácia do impressora que com o preço da impressora.

Por Luiz Henrique Okusu

Print Factory

Jaú/SP (envio para o Brasil todo)
Seth 3D & Mousta
14 3814-7199
m.facebook.com/printfacturing

8/17/2017

É na próxima terça: Patola na Escola de Impressão 3D!

Bom, na essência de provar que a Terça com Especialistas do Anderson Godoy tem sido incrivel, e eu fui a banda de abertura, hehehe, agora o convidado e o Cláudio Sampaio, você deve conhcê-lo como Patola, a quem cito na minha própria palestra sobre materiais.

Patola é um dos especialistas sobre impressoras 3D open source e um grande entusiasta da comunidade, e enquanto eu me considero teórico, ele é muito prático, empírico, experimentador, uma assumidade no mercado.

quem quiser saber mais, ou participar: http://escoladeimpressao3d.com.br/tercas-com-especialista/

Conheça a DS Impressão 3D



Essas órteses AFO ou goteira é para uma menina de dez anos de idade que não anda, ela vai utilizar a órtese para alongar os músculos para não encurtar e para posicionar os pés dela, ambos são virados para a parte interna da perna e a órtese vai ajudar no posicionamento de ambos.

A DS Impressão 3D foi criada com o intuito exclusivamente para atender a pessoas que possuem algum tipo de necessidade especial fornecendo produtos personalizados ou seja, o produto será de uso exclusivo do paciente e claro dar uma melhor condição de vida ao paciente e em alguns trazendo mais independência ao mesmo.

Contamos com o apoio de médicos e de uma terapeuta ocupacional que trabalha diretamente conosco e eu fico mais na parte comercial e encarregado de desenvolver os produtos para os pacientes.

Com a tecnologia 3D podemos fornecer produtos personalizados, leves e de boa qualidade que irão atender as necessidades dessas pessoas que necessitam desde uma tala ou até mesmo uma órtese de membro superior ou inferior.

Voltando a menina, ela fala normalmente, movimenta os braços e tem sequela de lesão medular.


8/16/2017

B3D - Impressoras Mineiras

www.fabrica3d.co

A Fábrica 3D é uma empresa situada em Santa Rita do Sapucaí-MG, o Vale da Eletrônica. Há mais de dois anos no mercado, realiza serviços de impressão 3D, atendendo encomendas de pessoas físicas e empresas de todo o território nacional. www.fabrica3d.co

A empresa atende os perfis de clientes como colecionadores de personagens de filme e games, pessoas que precisam de pequenas lembranças para eventos, empresários que precisam de serviço de prototipagem rápida.

Os pedidos são recebidos pelos nossos canais de contato como telefone, e-mail e redes sociais. O cliente pode enviar um arquivo (modelado em 3D) e nós realizamos o orçamento da impressão. São realizadas impressões de infinitos tipos de objetos, utilizando tecnologia desenvolvida pela própria empresa.

A Fábrica 3D tem como objetivo resolver o problema do cliente, que precisa de um serviço rápido e de boa qualidade.


8/15/2017

Depoimento: Monta Protótipo


Tenho atualmente 2 movtech cubica. Bom, trabalhei até 2011 na engenharia de uma empresa que já consumia serviço de impressão 3D para validar a montagem e design dos produtos desde 2008.Era caríssimo produzir um protótipo na época.

Até então eu imaginava que a impressora 3D era uma maquina de outro mundo gigantesca totalmente fora da minha realidade ter uma em casa. Até que em 2012 a revista Info publicou uma matéria sobre as RepRaps juntamente do contato do pessoal que estava iniciando com isto aqui e tão logo quanto imediatamente entrei em contato e já entrei no forum, participei dos encontros REPRAP e em 2013 montei minha prussinha. Eu vinha mais usando a impressora para imprimir coisas imuteis do Thingiverse e as vezes fazendo caixas para meus projetos eletrônicos e peças para empresa em que eu trabalhava. 

Em 2015 eu e minha esposa fomos demitidos por cortes na empresa. Com pouquíssimos recursos coloquei um anuncio na internet e comecei a fazer impressões para fora com a Prussinha, mas logo começaram os problemas, pois ela perdia a calibração com frequência, o circuito eletrônico falhava de tempos em tempos, o fato de não ser carenada empenava peças grandes e quase arranquei os cabelos tentando estabilizar ela para ser produtiva e ela vivia atrasando a entrega dos pedidos.

Então comprei uma cubica da Movtech e a maior parte dos meus problemas acabaram.A maquina é muito estável, a área de impressão é maior, ela não perde a calibração, mas o único defeito é que não ia bem com PLA. Fiz algumas modificações na extrusora e aí ficou redondo! Imprimo com qualquer material sem dor de cabeça e quando enrosca levo na Movtech e eles consertam a impressora com muita agilidade ou me arrumam outro equipamento para não ficar parado. Mas é raro necessitar do suporte deles. Recomendo muito o trabalho da Movtech.

E depois disso passei a procurar empresas para oferecer o serviço, e graças a venda consultiva, capricho na impressão e o bom atendimento, quem compra  sempre indica e volta a pedir mais impressões!

Não vou dizer que este negócio dá rios de dinheiro, porque tem muita gente fazendo o mesmo que eu, inclusive na mesma situação de buscar esta oportunidade por estar desempregado, mas consigo viver deste negócio e quando se gosta do que faz as coisas fluem bem !

Saiba mais sobre nosso trabalho em nossa página no facebook.
Visite nosso site : http://www.montaprototipo.com.br

8/14/2017

Novos parceiros no blog!

Não vou mentir, demorei, atrasei, me compliquei. Em parte estou em disputa com a UOL, pelo email de *$#$)# que me oferecem como parte da hospedagem, que qualquer link, eles já acham que eu estou tentando mandar email marketing, e o bloqueiam. Em outra parte, eles são super "cuidadosos" com o seu email, e qualquer coisa que você receba, que não esteja na lista de contatos, vai para o SPAM.

Já estou buscando novo provedor.

Mas o fato é que eu recebi alguns novos parceiros para nossa "lista telefônica"da impressão 3D e eu gostaria de divulgar aqui, para vocês, com exclusividade pelo tempo que levou:


TreeDee Impressões 3D e Prototipagem
Meu nome: Carlos Eduardo de Santana Marques Telefone para contato: (18) 99733-8343 Facebook: /treedee3d Instagram: @treedee3d 
E-mail: contato@treedee.com.br
 Site: www.treedee.com.br Cidade: Assis – SP Máquina que possuo: Graber i3





Me chamo Rafael e faço parte da equipe da Blu 3D, design e impressão 3D. Nossos equipamentos são, Form 1+ (SLA), Vooltd 3D (200 x 200 x 180) e Graber acm ( 200 x 200 x 180). Nosso contato é 54 98100-6352, contato@blu3ddesign.com e site blu3ddesign.com. Atendemos todo o Rio Grande do Sul.




8/11/2017

A escola de impressão 3D, de Anderson Godoy


Clique para saber mais!
Tive a honra e o privilégio de ser um convidado para uma "terça com especialistas" da Escola de impressão 3D, com Anderson Godoy, e tive uma honra ainda maior de ser convidado pelo próprio para ser divulgador de seus trabalhos e de seu curso.

Ele realiza um trabalho brilhante no ensino de impressão 3D, pois seu interesse vai além de ensinar o público a montar impressoras 3D, ou de vender o filamento, do qual, já era fã antes da fama, mas vai em realmente, sinceramente, formar os usuários, com aulas de apoio, com convidados como Alexandre Araveccia e Roberto Camanho dando aulas em seus cursos. Na busca de literaturas complementares, na continuidade do ensino que realiza.

Eu tenho um grande orgulho de tê-lo conhecido e de recomendar seus cursos, dos quais, ainda espero por mais uma chance de falar novamente a seus alunos, será uma grande honra.

Digo mais, quando o Francoleno da FATEC-ZL de plásticos, quis fazer de seu trabalho de graduação a criação de uma nova liga para impressoras 3D, mais barata, mais durável, mais fácil de utilizar, quem foi o único que se dispôs foi o Anderson, que abriu espaço em sua fábrica para uma tentativa. Uma tentativa que eu próprio falhei em produzi na empresa em que eu estava na época.

 Por esse empreendedorismo, e por essa dedicação, que sou feliz em indicá-lo como um ótimo instrutor, e um ótimo host. E recomendo seus cursos. Ele é alguém que tenta, na prática, a fazer mais.

8/10/2017

Impresso 3D Visita: Stratasys Rehovot HeadQuartet (Israel)



Re-up do nosso antigo Printing tour, agora chamado de Impresso3D Visita, sobre o curso que fiz em Israel.
Foi uma oportunidade única e com a qual pude aprender muito.

8/09/2017

Vase Exploration 2 // Dying Nylon Prints and Giant Nozzles



Eu não canso de repetir a minha esposa como admiro o que esse cara, Devin, do Maker Anything, consegue fazer mil coisas. Ele tem de tudo: Inventor Fusion, SolidWorks, um computador que funciona, várias impressoras 3D, diferentes e diversas canetas 3D, e uma criatividade e um talento inatos.

O máximo que eu fiz foi por fogo no escritório, tentado criar uma "Smooth Chamber" de acetoma para ABS, com uma cafeteira velha, acetona, isqueiro e uma ideia de girico, colocar fogo na acetona...

Agora, o gatilho para esse vídeo foi o que ele fez com uma MakerBot 2, que daria também muito bem, para fazer numa MakerBot 2X, troca de bico, troca de setup, vase mode. Eu gosto desse vídeo, pois toda vez que alguém fala que a MakerBot é engessada, eu falo da MakerBot 2X, the experimental 3D printer.

O sobrenome Experimental não se trata de uma alusão imaginária a Jimmy Hendriks "lets do some experiences", mas sim do fato de ser uma impressora raíz makers, aberta, open-source, editável, difícil de domar às vezes, mas sem dúvida a mais versátil a família, confiável, uma vez domada, para quem quer resultados com repetibilidade, e aberta, para quem quer explorar novos resultados.

Vejo muita gente reclamando da MakerBot, como quem reclama de um iPhone, sem nunca ter tido um. (eu tenho um windows phone). Gente que reclama como a empresa fechou o código aberto, sem nunca ter usado código aberto, mas que usa sim, thingiverse e grabcad, espaços e redes sociais de makers, mantidos por aqueles que compram a MakerBot, e dá dinheiro assim, a empresa do Brooklin para manter estas mesmas redes, por hora, grátis, abertas.

Sem mencionar que ela foi a pioneira em impressão 3D, para o bem ou para mal. De infantaria a boi de piranha, muitas empresas "certinhas" que vieram depois, sabiam onde não pisar por que a MakerBot foi ali e pisou, e da mesma forma, souberam como começar suas carreiras.

Minha defesa não desmerece as novas, eu mesmo gostaria de ter uma ZMorth, depois de comprar minha 2X novinha, e uma MakerBot Mini, para manter ao lado da minha CNC CupCake... afinal, Apple e MakerBot têm também isso em comum, uma linguagem visual, uma espécie de assinatura, com seus produtos, até hoje.

8/08/2017

É semana da indicação de livros!




Bibliografia: saber o que alguém fala é também saber de onde ele fala. Qual base? Qual literatura lhe dá bases?

Não tenho vergonha, ao contrário, tenho muita alegria em citar as obras que me permitiram chegar onde estou, e estou sempe aberto a conhecer novas obras, a aprender mais. Estes são livros fantásticos que tenho e tive a alegria, no caso dos livros brasileiros, de conhecer seus autores.

Neri Volpato, Dr. Jorge Vicente Lopes, Cristiane Ulbrich, pessoas que admiro demais, com quem aprendi demais e que um dia, espero até, ser lembrado por elas por alguma ajuda que eu possa ter dado.

Recomendo, de coração, estas obras. Lidas, entendidas, e aprovadas.

É hoje! O Arduíno e a impressão 3D na manufatura 4.0! Venha conferir!



Vou te falar, é um time de peso que veio depois de mim nestas terças com especialistas, me faz sentir ainda mais honrado em ter sido convidado a participar! Depois de mim, veio "só" o Roberto Camanho, e agora, bicho, vem Alexandre Aravecchia, um os maiores nomes em linux na educação, em Arduíno e em impressoras 3D, com um passado CAD que eu vou te falar, os posts-depoimentos dele formaram o melhor livro de não ficção do ano.

Renderizar CAD com um 386? Fazer cinemática com um CAD sem cinemática? Comprar briga com uma cidade inteira (dentre engenheiros/projetistas, ao menos)? Ele fez tudo isso, e muito mais!

Venha conferir na A escola de impressão 3D, do Anderson Godoy, você não vai se arrepender!


8/04/2017

Review caneta chinesa





Comprei uma caneta chinesa para fazer uma impressora 3D, a ideia segundo o site que estou seguindo, é que uma caneta chinesa é mais barata e mais fácil de montar para uma impressora 3D que o hot-end, motor de tração do filamento, dutos de silicone, diminuindo assim, os custos de montagem e a complexidade da montagem. Logo mais, a TuyuBot chegará ao mercado, hehehehe




Mas talvez, com outra caneta. Estava tão convencido que estas canetas são porcarias, que quebram ao toque, que eu não imaginava que fosse ficar com ela muito tempo, só que a danada já imprimiu com PLA Wood, abs, pla e elastômero, e segue funcionando.



Em comparação com a caneta 3Doodler, ela custa um terço do preço, usa filamentos de 1,75mm, que são mais fáceis de achar, e têm mais opções que os filamentos de 3mm. É mais leve, mas se nota que a armação toda é barata e provavelmente mais frágil. Mas no final do dia, o que importa, é que ela é mais barata e mais flexível em questão de materiais, ainda que o filamento menor, e o bico menor, façam que se leve mais tempo para preencher uma forma do que levaria com a 3Doodler, e seu filamento de 3mm e.bico de impresso convencional, de 0,4mm.

8/02/2017

Palestra de impressão 3D na medicina, em Campinas


Excelente oportunidade de conhecer a aplicação da impressora 3D na medicina, e o Guto só tem um pouco mais de estrada do que eu próprio, já que ele já era gerente da Sisgraph há algum tempo, quando eu entrei lá, em 2000... Esse conhece muito!

Contato

Formulário de contato

Nome

E-mail *

Mensagem *