9/22/2016

Novas MakerBot+ e Mini+




A MakerBot lançou no dia 20 de setembro suas novas máquinas, não uma sexta geração, mas um "MakerBot 5S", ou melhor, MakerBot Replicator +, com diversas melhorias de hardware e de software.



Em relação ao hardware, as mudanças são discretas na aparência, mas de impacto na estrutura da máquina: uma nova mesa de movimentação XY, mais rígida, precisa, rápida e silenciosa; uma nova mesa de construção de material aderente sem uso de fita ou colas, e de material elastomérico, permitindo torcer a mesa para remoção de peças, e por fim, uma mesa gigante para uma máquina desse porte: 295x195x165. Esse eixo de quase 30 centímetros coloco a máquina num novo patamar de uso, impulsionando ela de máquina de hobbie para máquinas semi profissionais, aliás, essa é a ideia por trás da nova plataforma de impressão 3D, Ideas in the making!


A MakerBot Mini+ também recebeu os mesmos upgrades de hardware, sua máquina tem um novo sistemas de movimentação XY, a mesa flexível e que não requer fita adesiva para a peça e o claro, a mesa de impressão cresceu! Agora ela tem 101x126x126mm! Ah, em tempo, ela perdeu sua indefectível portinha de acrílico, que era fadada a quebra mesmo... 





No campo do software, a MakerBot estréia sua nova plataforma de software, o MakerBot Print, Versão 1.0 (há quanto tempo você não usa algo na versão 1.0?), um software que dentre as suas maiores vantagens, esta não precisar mais de arquivos STL. Claro que ele ainda abre STL, mas agora ele também abre, nativamente, CATIA, UG/NX, Pro/E-Creos, SolidEdge, SolidWorks e Autodesk.

Ainda vamos falar só desse software numa versão futura, aguarde!

9/20/2016

GE compra a SLM


Numa era de compras de empresas de internet e aplicativos, onde o Facebook paga bilhões pelo Instagram, pelo Whatsapp e o Google e a Apple adquirem centenas de empresas para incorporarem aos seus ecossistemas, compras do mundo físico tendem a passar desapercebidas. Não é o caso desta compra.

A GE acaba de investir 1.4 bilhão de dólares na compra de duas empresas de impressão 3D e manufatura aditiva, a SLM, soluções de impressão 3D em metal, e a Arcam AB, também de soluções de impressão 3D. À princípio a compra será para incorporar estas empresas ao grugo da GE Aviation, mas o grande plano é um pouco mais amplo.

A empresa quer aproveitar o boom previsto há algum tempo para o setor de manufatura aditiva e prevê uma captação de até 5 bilhões de dólares em 5 anos, e tensiona recumperar o investimento tão rápido quanto 2020!

Já discutimos aqui os problemas e os pontos positivos dos processos de sinterizados para a aviação, mas esta ação parece também uma resposta à plataforma Infinity Build desenvolvida conjuntamente entre a Stratasys, Kuka, Ford e Boing, como também já falamos aqui.

Para ler o artigo completo, acesse: http://www.usinagem-brasil.com.br/11272-ge-compra-duas-empresas-da-area-de-manufatura-aditiva/pa-1/

9/16/2016

Usintek investe em Impressão 3D de ponta!

Usintek investe em impressão 3D para fazer ferramentas e protótipos de produtos automotivos e eletroeletrônicos

 Para atender melhor as expectativas de clientes, empresa adquire solução de impressão 3D da Stratasys, que garante mais agilidade e qualidade na produção de ferramentas finais utilizadas nas fábricas e em protótipos de novos produtos e peças

A Usintek, empresa especializada no desenvolvimento de projetos para automação industrial e usinagem de ferramentas e protótipos de pequeno e médio porte, acaba de adquirir uma impressora 3D Stratasys Fortus 450mc. O objetivo é atender às necessidades de clientes do setor industrial, especialmente automotivo e de eletroeletrônicos, que precisam de agilidade, precisão e qualidade na produção de protótipos e de ferramentas finais.

Atuante no mercado há mais de 20 anos, a Usintek é reconhecida por sua expertise na produção de ferramentas e protótipos variados, além de participar do desenvolvimento de projetos customizados de produção. Até o ano passado, utilizava processos de usinagem em metal e CIBATOOL e outros tipos de prototipagem tradicionais, mas começou a receber demandas de clientes por moldes e peças feitos com manutenção aditiva.

Para ler o artigo completo, acesse o site: http://www.lwtsistemas.com.br/noticias/usintek-investe-em-impressao-3d/

Acesse o site da empersa: http://www.usintek.com.br/

9/15/2016

A LWT Sistemas vende a primeira J750 da América Latina

 A LWT Sistemas vende primeira impressora 3D J750 e está sempre em sintonia com o futuro, ao lado das mais avançadas inovações tecnológicas de impressão 3D. É por isso que a empresa realizou, no mês de junho, a primeira venda na América Latina, de uma das mais novas e revolucionárias tecnologias de impressão 3D, a J750. Atualmente existem apenas 18 impressoras 3D J750 no mundo!

A aquisição foi feita por uma empresa que atua no ramo de tecnologias para a saúde, desenvolvendo soluções customizadas e exclusivas para a recuperação funcional de pacientes. Com a nova tecnologia, a empresa pode recriar partes do corpo humano, como bio-modelos, para planejamento cirúrgico e para uso em ensino e pesquisa.

Para ler sobre essa venda, acesse a matéria completa no site da LWT Sistemas: http://www.lwtsistemas.com.br/noticias/lwt-sistemas-vende-primeira-impressora-3d-j750/

9/13/2016

Insper investe em impressão 3D!

O Insper é uma instituição de ensino superior brasileira, que vem de uma bagagem grande nas formações de administração e economia, e que investiiu, pesado na formação de engenharias.

Tive o privilégio de passar dois dias lá, ministrando curso de Insight Avançado, software da Impressora 3D Fortus 250mc aos professores do TechLab, o laboratório de tecnologia da instituição, munido com o mais moderno possível em equipamentos, incluindo, claro, impressão 3D.

Talvez você não ligue o nome à pessoa, mas o Insper também é pioneiro no FabLab, com abertura pública uma vez por semana, munido de impressoras 3D open-source, quatro delas, e cortadoras a laser e outros equipamentos, a instituição já saiu no Fantástico, na série de reportagens Faça Você Mesmo.

Agora, o FabLab é um departamento dentro do Campus, e o TechLab é outra, com máquinas mais profissionais, o desafio do TechLab é auxiliar o Campus no desenvolvimento de produtos, e ensinar aos alunos esse processo.


Para saber mais, veja a matéria completa no site da LWT Sistemas, representando Stratasys responsável pela venda dos equipamentos Fortus 250mc e PolyJet Objet30 Prime.

9/08/2016

Ferramentas de criação de produtos


Eu costumo brincar que se a legislação trabalhista no Brasil não fosse o absurdo que era, só com a posse de uma impressora 3D das pequenas, uma MakerBot mini, eu já criaria uma cooperativa de vendas de semáforos, dando emprego, fornecendo produtos e criando uma cadeia produtiva.

Produtos simples, mas criativos, como lâmpadas diferentes, formas de gelo criativas, espremedores de suco com design ousados e ao mesmo tempo simples, podem ser obtidos através de um CAD grátis, uma impressora barata e uma linha de reprodução através de molde de silicone. Mas, como criar esses produtos engraçadinhos?

Para isso existem formas já catalogadas e práticas de desenvolver a criatividade, essa palavra tão mal compreendida, que por vezes é vista como inspiração divina ou esotérica, na verdade trata-se meramente de uma inovação, uma diferenciação. Como quem vende pequenos pokemons em semáforos, aproveitando a vibe do jogo que dominou os celulares mundiais.

Essas ferramentas são catalogadas, mensuráveis e praticáveis, como o MESCRAI - Modifique, Elimine, Substitua, Combine, Rearranje, Adapte ou Inverta. Uma forma de recombinar produtos simples, na busca de uma nova aplicação, uma nova forma de vendê-lo, uma nova funcionalidade ou meramente um novo conceito. A forma de gelo que gera peças Lego ou guitarras e/ou dentaduras de gelo.

Microsoft Word e uma impressora 2D disponíveis à todos não transformou o mundo em escritores de novelas de sucesso, mas ajudou sem dúvida, a revelar os bons que estariam ocultos, sem as ferramentas certas na mão.

A mesma coisa com o CAD e a impressora 3D, nem todos se tornarão inventores, mesmo que esteja disponível para todos, mas sem dúvida, ajudará a revelar mais e mais talentos, que fora dos processos seletivos das grandes empresas, seja por morarem longe ou não atenderem algum código de vestimenta/conduta que estas empresas aprovam, estariam perdidos para sempre...

9/06/2016

Impressão 3D - da ideia à realidade



A impressão 3D capacita pessoas a desenvolverem ideias, melhorarem projetos, validar conceitos em questão de horas, coisa que antes levaria dias, talvez meses. Nesse conceito, para o qual foi criada, a impressão 3D é chamada de Prototipagem Rápida.

Mas logo, a impressão 3D foi acrescida de scanner 3D, digitalização, e novos materiais, que permitem a produção de peças rígidas, duráveis, resistentes ao óleo, graxa, combustível, luz UV, temperaturas, permitindo a criação de peças finais, direto da impressora para seu uso e aplicação, e nesse conceito a impressão 3D é chamada de Manufatura Aditiva.

E por fim, a impressão 3D agrega repetibilidade, tolerância dimensional, precisão, que permite a impressora produzir dispositivos de metrologia, montagem, transporte, porta ferramentas, dispositivos de apoio a construção, e nesse universo, a impressão 3D é chamada de Inventário Digital.

Pela união destas capacidades, hoje a impressão 3D é o alicerce no qual se apoia a indústria 4.0, um conceito que pode levar a indústrias automatizadas, produzindo com as luzes apagadas, pois robôs e impressoras não precisam de luzes acesas, e a produção de mínimo custo de produtos altamente especializados. É o fim do mundo? Geração de desemprego em massa? Talvez...

A impressão 3D não capacita apenas às indústrias se modernizarem, as impressoras permitem que qualquer pessoa com uma ideia na cabeça seja sua própria indústria, a produção doméstica, em casa. Soma-se à isso, scanner, CAD's 3D cada vez melhores e mais baratos ou grátis, e placas programáveis para automação, seja Arduino ou Raspberry, e o que temos é a criação de produtos complexos, possíveis em cada lar, nas mãos de cada ser humano. É o fim das indústrias convencionais? Talvez...

Esses futuros são tão próximos ou tão distantes quanto desejarmos. As ferramentas já existem, estão disponíveis, impressão 3D, CAD, Arduino, Rasp, tudo já existe. Falta o conhecimento, para os dois lados. As indústrias são reticentes no investimento, as pessoas são reticentes no investimento. Mas o mundo, ah, o mundo não nos espera...

Claro que em mais cinco anos as impressoras 3D poderão estar mais baratas, mas por outro lado, quem esperar cinco anos pode encontrar um mercado já estabilizado, com máquinas pagas e amortizadas, e ainda terá que vencer a curva de aprendizagem, que seus concorrentes já terão dominado. Vale a pena o desconto pela espera? Depende de quanto você está disposto a investir...

Contato

Formulário de contato

Nome

E-mail *

Mensagem *