2/29/2016

MakerBot na sala de Aula


Nunca é demais relembrar do material educacional da MakerBot, o livro grátis MakerBot na sala de aula, disponível em Inglês, Espanhol e Português.

O nome da impressora não basta, The Experimental 3D Printer, o fato de ser um software fechado, tem associado a MakerBot com uma faceta negativa, quando na verdade, o software pode ter seu código fechado, sim, mas os parâmetros de impressão são integralmente abertos, dá para imprimir ABS, PLA e chocolate se quiser na impressora 4a geração.

Mas não é só parâmetros de impressão e customização de materiais que essa impressora pode te atender. Dá para aprender muito com ela em sala de aula, de alunos do fundamental à pós-graduação, e para garantir a passagem desse conhecimento aos professores de arte, física, química e matemática, entre esse fantástico livro.

Com lições de modelação 3D, através do TinkerCAD, e aplicações com aulas de dinâmica, atrito, interferência entre componentes e muito mais, esse livro busca educar o professor, que realmente não tem por que saber de impressoras 3D, mas que após a leitura desse livrinho de apenas 166 páginas, duvido que alguém possa voltar a dar aulas sem elas...

Para saber mais do livro, acesso: http://pages.makerbot.com/educational-handbook-makerbot-in-the-classroom.html

2/26/2016

Você sabe o que é steam?


Não, não, não, STEAM não é a plataforma de jogos que se pode comprar games online, uma espécie de facebook de videogames. Tão pouco é uma abordagem de ficção científica baseada num mundo alternativo movido à vapor, como a era vitoriana de BioShock, ou o filme "As loucas aventuras de James West". Nesse caso aqui, STEAM é uma sigla para educação.

Para quem não sabe, STEAM significa Science Technology Engineer Art & Math, é uma nova metodologia de ensino e aprendizagem, baseada em aliar um conhecimento prático e teórico. Não necessariamente associado aos FabLABS, mas que já tem sido utilizado em conjunto com ele, por diversas iniciativas que buscam educar ou ensinar as pessoas a aprender.

Um exemplo é o trabalho desenvolvido pela Heloisa Neves em diversas empresas, onde os funcionários se juntam em times e desenvolvem soluções para reclamações comuns de seus clientes (internos e externos) num cenário onde eles pudessem, de fato, inferir em todas as etapas do desenvolvimento do produto. Imaginem uma empresa de cremes e produtos de beleza, onde todos os departamentos pudessem se envolver numa solução de embalagem melhor, levando em conta suas próprias opiniões e sugestões dos clientes coletadas através do setor de relacionamento.

Ou uma escola, onde os alunos possam desenvolver carrinhos de corrida, e pudessem atuar no projeto, conceito, impressão das peças, automação por arduino, desenvolvimento de interfaces por Raspiberry e integrar tudo num prótótipo funcional feito por eles?

Até mesmo bancos podem se beneficiar de ter tantos setores do saber envolvidos, pois aprender a aprender não te permite apenas fazer carrinhos e cancelas de estacionamento em escalas inúteis, mas te ensinam a ter uma visão externa, multi-disciplinar e solucionadora para questões do dia a dia, cuja rotina e estafa nos impediriam de ver de outra forma.

Nesse processo pode-ser aprender simultaneamente o desenvolvimento de um jogo de video-game, por exemplo, aprendendo a modelar em 3D o personagem, imprimí-lo em 3D, desenvolvem Aduino, o emulador em RaspBerry Py, cria a carcaça do arcade em impressora 3D novamente e se diverte, ou vende, ou doa.

Para conhecer mais do trabalho da Heloisa, e o que sua educação, seu FabLab e a aplicação do STEAM têm dado de frutos, veja seu site: http://wefab.cc/#/cubomaker/

2/25/2016

Mattel lança impressora 3D de 300 dólares


Uma coisa que os fãs de impressão 3D não podem reclamar, é do livre mercado. Pois dentre tantas e tantas opções de fabricantes, nacionais e importadas, mais uma impressora 3D surge em 2016, e é de um fabricante de brinquedos. Aliás, a impressora 3D é para que crianças, e adultos, é claro, possam fabricar seus próprios brinquedos.

Com essa ênfase, a impressora 3d apresenta alguns truques para ser utilizada por crianças, primeiro, a porta que se tranca quando a impressão 3D se inicia, segundo, o cabeçote que se recolhe para um abrigo, protegendo o bico extrusor quente do contato de crianças curiosas.

Além disso, a Mattel ainda tem um aplicativo para iOS, no qual as crianças podem imprimir desde brinquedos pré-selecionados, a até modelar suas próprias versões. A empresa aposta nas marcas que representa para poder ofertar com a impressora peças exclusivas, grátis ou pagas, expandindo assim seu mercado.

A matéria original é do The Verge: http://www.theverge.com/2016/2/15/10995090/mattel-childrens-3d-printer-thingmaker

2/23/2016

NASA disponibiliza STL's para impressão 3D


E a dica vem do amigo e leitor Fabio Abade, dizendo que a NASA passou a disponilizar em STL uma centena de arquivos dela, incluindo geografias da região de pouso de sondas espaciais, uniformes, satélites e uma infinidade de outras coisas.

Para conferir o download, basta acessar o site: http://nasa3d.arc.nasa.gov/models

Embora os asteroides e batatas tenham pouca diferença, não deixa de ser muito bacana ter algo na sua mesa que está a milhões e milhões de quilômetros por hora, a centenas de milhares de quilômetros daqui. Só uma curiosidade: o objeto mais rápido feito pelo homem até hoje é a sonda Voyager, cerca de 160 mil km/h.


2/22/2016

Magics para textura e cores do STL


Magics e Stratasys em nova parceria por cores e texturas na impressão 3D, cada vez mais realística.

Aficionados por astronomia sabem que o diâmetro e a montagem são características importantes de um telescópio, mas e a sua aparência? No momento, há uma ampla gama de opções além dos telescópios-padrão cinza ou preto. E aqueles que querem destacar sua mais nova aquisição, podem tentar conseguir um telescópio impresso em 3D com diferentes texturas e cores. Mais recentemente, o software de realce 3-maticSTL e a as impressoras de Objetos da Stratasys foram utilizados para criar uma peça demonstrativa cujos componentes vale a pena levar em consideração.

Texturas de Pele de Tubarão & de Couro de Luxo

A Stratasys queria criar um telescópio que fosse uma peça demonstrativa com diferentes texturas e com as cores branca, cinza, preta e amarela. Com isso em mente, a 3-maticSTL foi usada para criar uma textura de pele de tubarão, de couro e de polígono. Para criar diferentes consistências, operações Boolean foram aplicadas entre vários arquivos STL, cada um contendo uma textura diferente.

Designers e engenheiros geralmente imitam a natureza para melhorar as propriedades de suas próprias criações. A textura conhecida como pele de tubarão, melhora as propriedades aerodinâmicas de um objeto. De fato, a Materialise já havia aplicado esta textura antes, no nariz do primeiro carro de corrida impresso em 3D no mundo. Enquanto algumas texturas podem, portanto, ter um valor funcional, neste caso, a textura de pele de tubarão foi escolhida puramente com objetivos estéticos.

Depois de aplicar as texturas, o arquivo do telescópio foi enviado para o software Magics de preparação de dados. Com a Magics, as marcas Materialise e Stratasys foram colocadas sobre o objeto, e o arquivo foi arrumado e preparado, em seguida, para a impressão 3D.

Artigo originalmente publicado em: http://www.lwtsistemas.com.br/magics-um-telescopio-com-diferentes-cores-e-texturas/


2/19/2016

Manutenção de equipamentos fora de linha


Para fechar a semana com os casos de sucesso em impressão 3D na chamada Manufatura Aditiva, ou nesse caso, manufatura expandida, a impressora 3D também pode ser uma salvadora na linha de produção, ao colocar máquinas operatrizes de volta ao trabalho, principalmente aquelas que já não são mais fabricadas, quando têm um defeito ou um componente falha...

Veja, com a aliança de scanner 3D grátis, e o poder dos termoplásticos das impressoras FDM, não existe botoeira, painel, centro de controle, alavanca, pisador e suporte à sensores de presença que não possam ser capturados, usando aplicativos até mesmo grátis, como o 123D da AutoDesk, para Smartphones iOS e Android, e após a captura, pode-se usar aplicativos como o Magics, da Materialise, vendidos pela LWT Sistemas no país, para a reconstrução, parametrização e alisamento das superfícies, e por fim, imprimir um objeto 3D novo, pronto, e rápido, para repor um equipamento parado!

No caso da foto aí de cima, vemos um item não produtivo, uma dobradiça de um pistal hidráulico que fadigou, e a fabricante da máquina queria pelo item espantosos 44 mil dólares, isto é, ela forneceria ao cliente, um molde usinado, já com 100 cópias das peça que falhou e depois, para falhas futuras, o cliente seria já "suficiente" para produzir a própria peça.

Veja bem, o business desse cliente não é fazer esse tipo de articulação, tão pouco ele pode esperar 4 semanas entre o desenvolvimento do molde, a importação até seu local de trabalho, injetar 100 peças e ainda ter que patrimoniar e estocar um item que nada tem haver com sua linha de produtos!

Através da impressão 3D, 100 desses mesmos itens feitos em Nylon12, numa Fortus380mc levariam apenas 3 dias para serem desenvolvidas.

2/18/2016

Um caso brasileiro de sucesso em Manufatura Aditiva: MAN Caminhões e Ônibus


Se você está buscando um caso de sucesso brasileiro para acreditar no poder de economia gerada pela impressão 3D, então veja esse caso da MAN Caminhões e Ônibus, em Resende, Rio de Janeiro. O caso de sucesso sequer foi publicado pela Stratasys, mas sim, de uma revista especializada, e reproduzido pelo site http://www.brasilalemanhanews.com.br/Noticia.aspx?id=4288 

Confira no artigo como a impressora ajudou sozinha, na redução de 80% dos custos de planejamento e conceituação dos novos veículos, sem mencionar no artigo, os benefícios que a impressora 3D trouxe para a própria linha produtiva, com ferramentas e berços de montagem, dispositivos de colocação de adesivos e de auxílio produtivo em geral!

2/17/2016

Manufatura Aditiva: Opel


Ontem falamos do potencial de crescimento das impressoras 3D no Brasil, com as aplicações de Manufatura Aditiva ou Inventário Digital, e para exemplificar, um dos mais importantes cases dos últimos tempo, é a aplicação da Opel na Europa, Alemanha, onde eles atingiram enconomias na casa de milhões de Euros, apenas por utilização de dispositivos impressos para auxiliar na linha de montagem do veículo Adams.

Esses dispositivos são mais rápidos de serem produzidos, pois são desenvolvidos impressos, do dia para a noite. Não requerem que sejam estocados entre usos, eles podem ser impressos, igualmente hoje, ou ha daqui dez, vinte anos. Não requerem processos de compra de fornecedores terceiros, sabem aquele lance de três orçamentos, escolher um ganhador, ter a reunião com o fornecedor, esperar ser fabricado, patrimoniado, imobilizado, depressiado, lançado em balanço contábil da empresa. Nada disso.

Como o desenvolvimento desses dispositivos são feitos internamente, cada operador pode dar sugestões de como o mesmo poderia ser alterado, para ser mais fácil de ser usado, mais rápido, causar menos ameaça de dano à pintura e coisas assim, não apenas o operador fica mais confortável, como também ele se sente envolvido no processo de fabricação, e participa mais ativamente do processo de desenvolvimento.

Por fim, como esses dispositivos podem ser impressos parcialmente ocos, para serem mais rápidos e mais baratos de serem impressos, eles também se tornam leves, até 1kg mais leve, e o resultado é uma redução de até 99% do afastamento por lesão por esforço repetitivo.

E você? O que está esperando para ter impressoras 3D na sua linha de produção? Contacte a LWT Sistemas para saber mais sobre a solução! Caso o vídeo não apareça embedado, clique no link à seguir: https://www.youtube.com/watch?v=ieFxAKrVCf8


2/16/2016

Censo de impressoras 3D Stratasys no país


Foi revelado no Kick-Off da Stratasys Brasil a família atual de impressoras profissionais da Stratasys. O censo concatena apenas as impressoras profissionais das linhas FDM e PolyJet e ignora as impressoras MakerBot e as impressoras de cera SolidScape, da mesma forma, não contabiliza as impressoras dentais, especializadas, lançadas nos últimos anos.

O número é bastante bom, 1050 impressoras, 26 só da LWT Sistemas, conseguidos ao longo de 3 anos de trabalho, incluindo no range da LWT máquinas como Objet260 Connex3 e algumas impressoras Fortus250mc, modelos de grande e médio porte, respectivamente.

O que é mais impressionante, porém, é o uso dessas impressoras, prioritariamente usadas no setor de conceituação e protótipo. Num país que é sumamente fabricante, mas que se dedica pouco às indústrias de criação, esse número revela um mercado ainda virgem para impressoras 3D no país. As aplicações de Inventário Digital e Manufatura Aditiva são mercados ainda pouco explorados e ao mesmo tempo, o mercado de maior potencial das impressoras (e de redução de custos na aplicação de impressoras). 

Por fim, mostrando o crescimento desse mercado, o número do censo revela ainda que não apenas a 3DSystems veio ao Brasil, com a compra da Robtec, mas a Stratasys também tem hoje não 1, não 2 representantes, mas 11! E ela própria está num escritório no país, com infraestrutura de técnicos, engenheiros de aplicação e importação e exportação. 

2/15/2016

Novos Materiais MakerBot em Q1


Já foi notícia aqui, e já foi notícia no site da LWT (http://www.lwtsistemas.com.br/novos-materiais-makerbot-composite-pla/) que os novos materiais não tardam. Um anúncio recente da MakerBot confirma os novos materiais para esse primeiro semestre. Não sei vocês, mas eu já estou ansioso.

No processo, já existem outros desenvolvedores fornecendo o PLA metálico, conforme o vídeo abaixo demonstra:

Veja o link, caso o vídeo não esteja embedado: https://www.youtube.com/watch?v=mUuRpkQh_Fo


2/12/2016

Nova 3Dooler Kids!


A the3Doodler lançou agorinha (quarta de manhã) uma caneta 3D incrível, voltada para crianças, não tem partes quentes, e pode ser manipulada sem cuidados especiais. Além disso, é claro, a caneta também tem a disposição um livro de atividades, para a molecada fazer suas próprias construções orientadas, como torres Eiffel, dragões e fantasias!

A caneta está com uma promoção de lançamento, na compra de uma, ganhe 2 packs extras dos plásticos que ela utiliza para trabalhar.


2/11/2016

Impressora Cube anunciada fora de linha


A 3DSystems anunciou em 28 de dezembro de 2015 que sua linha de impressoras de entrada, a Cube, que era vendida nos Estados Unidos por US$ 999 será descontinuada. A empresa avisa que continuará a vender seus estoques de máquinas e materiais e suporte técnico, contudo a produção da impressora já foi encerrada.

O movimento, segundo a fabricante, é para focar no mercado de Manufatura Aditiva, onde eles acreditam que haja carência e que esse processo irá acarretar também em maior adoção dos outros produtos da linha.

O artigo na íntegra pode ser encontrado em: http://www.3dsystems.com/press-releases/3d-systems-end-life-cube-its-entry-level-consumer-3d-printer

Honestamente, na opinião desse blogueiro, a ação visa desvincular as impressoras muito baratas da imagem da impressa, embora não sejam ruins, elas não são tão precisas quanto outras impressoras opensource, e acabam arranhando a imagem das grandes impressoras que a companhia vende.

2/05/2016

Você conhece as impressoras 4D?


A impressão 4D é uma impressora 3D com materiais que se alterem com o tempo, incorporando nessa estrutura, a quarta dimensão. Na Universidade Harvard recentemente criou uma Orquídea 4D, que uma vez impressa e imersa na água, tem sua estrutura alterada constantemente conforme a água e as correntezas a alterem.

Existem milhares de aplicações na natureza, medicina, forma orgânicas, que precisem se adequar ao tempo, clima, sem se partirem, onde essa aplicação pode ser utilizada. Essa impressão, contudo, depende muito mais dos materiais aplicados, do que dos processos. E vai permitir a criação de materiais que igualmente se alterem sob condições externas, ou ainda melhor, que tenham memória de sua forma anterior, retornando à ela, imagem carros que após pequenos choques, retornem à sua forma original? Imagem os funileiros fazendo greves e agredindo vendedores de impressoras 4D... ops...

Para mais informações, veja o vido no link ou embedado abaixo: https://www.youtube.com/watch?v=7Q_Fu1KlVac


2/02/2016

Novo SmartExtruder+ continua fazendo sucesso

E o novo SmartExtruder+ continua crescendo na mídia e no mercado. Com capacidade de funcionamento em laboratórios da Stratasys e da MakerBot o mesmo já soma 160.000 horas de funcionamento, o equivalente há 18 anos sem parar de funcionar.

A confiança é tanta, que a MakerBot aumentou a garantia da peça de 3 para 6 meses, e o novo cabeçote deve ser também compatível com os novos materiais da MakerBot que chegará ao mercado até o final do primeiro trimestre.

Estão falando bem desse produto em páginas neutras, também, confira:

ZDNet: First look: MakerBot introduces Smart Extruder+ (and it's pretty nice)


Tom's Guide: MakerBot Smart Extruder+ Helps 3D Printing Woes
"We’ve been testing the new Smart Extruder+ for several days on a Replicator that Makerbot supplied, and it certainly seems to deliver improved performance."

TechCrunch: MakerBot Releases The Smart Extruder+
"I will put the new extruder through its paces this week."

PCMag: Latest MakerBot 3D Printers Get Improved Extruder
"MakerBot promises improved durability and print performance from its Smart Extruder+."

Contato

Formulário de contato

Nome

E-mail *

Mensagem *