8/27/2015

Iron Man entrega mão biônica


E assim como Kaká, esta iniciativa esta se espalhando pelo mundo, o projeto mão biônica, com peças impressas em 3D. O que eu acho lindo dessa iniciativa é que não apenas o braço é dado, mas tem aquele apelo de tornar a diferença da criança em algo bacana, dando parte da armadura do "Homem de Ferro", e o melhor, dada pelo próprio Tony Stark, digo, Robert Downey Jr.

Para saber mais desse projeto, acesse o vídeo: https://www.youtube.com/watch?v=oEx5lmbCKtY

Ou veja-o abaixo:


8/25/2015

Jogador Kaká entrega mão biônica



Saiu no mailing da Stratasy (que você realmente deveria assinar) sobre o jogador Kaká e a entrega da "mão biônica˜, matéria que rendeu até uma menção indireta no Jornal Nacional de 25 de agosto de 2015:

Crianças que perseguem suas paixões proporcionam uma excelente inspiração para a equipe da Limbitless Solutions. Trabalhando em um laboratório da Universidade da Flórida Central (UCF), a Limbitless Solutions cria membros biônicos individualizados impressos em 3D para crianças que combinam com sua anatomia e personalidade. Estes fantásticos e personalizados aparelhos são produzidos em apenas algumas horas em uma Stratasys Dimension Elite 3D Printer.

Qual é o objetivo?

Na semana passada, um jovem brasileiro fã de futebol foi o feliz beneficiado com uma mão impressa em 3D pela Limbitless Solutions. Paulo Costa Boa Nova, de 6 anos, tem uma má formação na concepção que afetou seu braço e mão direita. Paulo foi selecionado entre centenas de candidatos para ter sua mão biônica desenvolvida pela Limbitless Solutions. O pai de Paulo, Cláudio, ouviu falar das próteses impressas em 3D quando um amigo lhe enviou o link da Limbitless Solutions - antes disso, este tipo de aparelho não era uma opção viável para a família.
A impressora Stratasys Dimension Elite 3D utilizada por Albert Manero e sua equipe na Limbitless Solutions foi doada pela Stratasys. As crianças recebem os membros impresso em 3D gratuitamente; os alunos que executam os trabalhos na Limbitless Solutions dedicam seu tempo e habilidades de forma voluntária - que vão desde a engenharia até a arte de design - e o custo dos materiais é coberto com a arrecadação de fundos.

Sonhos se tornam realidade

Claudio Boa Nova reconheceu o papel que o aparelho impresso em 3D vai exercer na vida de seu filho. "Não tenho palavras para dizer o quanto somos gratos", disse Boa Nova. "Quando vi no YouTube os braços que eles fazem, tive a esperança de uma oportunidade para o meu filho. Não posso acreditar que hoje o seu sonho tornou-se realidade".
Em entrevista para a Stratasys, acrescentou: "Nós gostaríamos de visitar escolas no Brasil e dizer-lhes  a respeito da impressão 3D. Nós podemos usar a prótese da mão do Paulo como um meio das crianças compreenderem a importância da tecnologia, e como a tecnologia podem mudar vidas".
O decano da Faculdade de Engenharia e Ciências da Computação da UCF, Dr. Michael Georgiopoulos, explicou, "Manero e o grupo de alunos voluntários do laboratório da Limbitless Solutions são uma inspiração para toda a comunidade escolar. Eles encorajam as mulheres a fazerem parte das disciplinas de ciências, tecnologia, engenharia e matemática, e estimulam a criatividade enquanto fazem algo que irá mudar a vida dessas crianças."
Para saber mais sobre impressão 3D e/ou adquirir sua impressora 3D, entre em contato com a LWT Sistemas, através do site: http://www.lwtsistemas.com.br ou pela loja para os produtos MakerBot: http://loja.lwtsistemas.com.br

8/22/2015

Hacer que se te cante el c*lo


Tem uma expressão em espanhol que sempre me soou estranha, "hacer que se te cante el c*lo", fazer o que seu bumbum mandar, numa tradução mais polida e contida. Sempre achei estranha, mas faz também, muito sentido. Geralmente observamos nossas ações com um outra base, emoção ou razão, coração ou mente. Hacer que se te cante é c*lo é uma terceira saída.


Não importa como decidimos nossas vidas, as pessoas sempre irão nos julgar. Optei por não ter mais um carro, optei por não trabalhar de gravata. A medida do meu sucesso é para aqueles que me conhecem e podem saber o quanto eu sei, o quanto estudei, o quanto posso fazer. Tenho para mim, a cabeça baixa e a humildade de sempre querer aprender, mas isso não importa, as pessoas sempre te julgarão sob seus próprios prismas.

Decidir não ter carro é visto muitas vezes como uma decisão de um fracassado, "não posso manter um carro", ou como a decisão de um hipster, esta forma pós-moderna de hyppie, "não quero agredir a natureza e o mundo, meu...". No meu caso, foi estratégica. Leio mais, tenho tempo para mim, entre um transporte e outro, que por vezes, me sai mais caro no fim do mês que um carro e todos seus impostos. Foi uma decisão emocional, e foi uma decisão racional.

Tenho também pensado em colocar aparelho dental. Meus dentes nunca me incomodaram, mas agora, me incomodam. A gengiva está estranha e não gosto de como têm inclinado ao longo dos anos. Mas passamos por uma moda bizarra de usar aparelho dental (sério?!), e também estou chegando aos quarenta anos. Se eu der esse passo, vão pensar: "olha lá, se rendeu à moda besta", ou "olha lá, buscando a infância perdida na crise da meia idade". Mas a verdade é que apenas, e apenas isso, meus dentes têm me incomodado.

No final do dia, não importa o que façamos, as pessoas medem os outros por seus próprios parâmetros, e às vezes, não adianta querer explicar, é melhor repetir: Hice lo que me canto el c*lo, e pronto.

Contato

Formulário de contato

Nome

E-mail *

Mensagem *