5/26/2014

iPad 3D Printing Applications

Diversas impressoras 3D têm sido lançadas, com as mais diferentes construções, materiais e maneiras de empilhar matérias para produzir peças, produtos ou grama, mas uma coisa todas estas tecnologias têm ganhado em comum: o iPad!

Numa era que caminha para a inexorável extinção dos jornais impressos, orelhões, pochetes e claro, dos desktops, o iPad tem surgido como opção natural entre os entusiastas na hora de gerar aplicativos.  No nosso último post abordamos o aplicativo para desenho de seus avatares em 3D, mas outro grande aplicativo útil nos dias de hoje é aquele que gerencie a sua impressora.

A 3DSystems tem uma coleção de aplicativos para o iPad, que vão desde ferramentas de desenho a até gestores da impressora 3D:


A Makerbot não vem atrás e lançou um scanner 3D para o iPad, capaz de converter uma sucessão de fotos processadas na nuvem, em um arquivo que pode ser impresso em 3D:


Ainda na onda de conseguir objetos em 3D, a Makerbot também disponibiliza para iPhones, um sistema bastante prático de navegar entre sua gigantesca comunidade online de modelos 3D, a Thingiverse:


Logo mais, as impressoras serão tão invisíveis em nossos lares como são hoje as geladeiras e fogões, que após escolhidos, não observamos mais seus detalhes ou curiosidades, apenas os usamos e os mantemos limpos, só dando pela falta deles, quando quebram. Imprimir em 3D, logo será tão cotidiano e prático, quanto enviar um email, ou até mais simples.

5/20/2014

Celulares em braile, impressos em 3D! (updated!)


Vou ser honesto, esta matéria foi publicada originalmente pelo site do Olhar Digital, mas a ideia é tão fantástica, que eu precisava registrar aqui também, para a posterioridade. 

Em síntese, a empresa inglesa OwnFone desenvolveu telefones em braile, muito acessíveis, (ao redor de 280 reais), feitos diretamente das impressoras 3D para as mãos de seus clientes. Até mesmo quem não é cego pode utilizá-lo, pois pode-se imprimi-los com números grafados sob os relevos do braile, direto na impressão 3D. 

A empresa foi fundada por Tom Sunderland, graduado em artes pela Royal College of Art e o foco inicial da empresa era criar telefones celulares fáceis de operar para a terceira idade, tornando fácil o contato em casos de emergências. Após isso, veio o desenvolvimento do 1stfone, um telefone para crianças, no sentido de segurança e contato com os pais, sem SMS, sem internet, apenas chamadas telefônicas. 

Telefones feitos em 3D, mesmo celulares não são novidade, esta mesma empresa já teve outros dois modelos, mas é uma ideia fantástica, não é? (muito melhor que a impressora de grama!).

Atualmente a empresa planeja ampliar as vendas para a Austrália também, e quem quiser brincar de configurar seu próprio aparelho, para ver quão legal é a ideia, basta acessar o site deles: http://www.myownfone.com. Ah, sim, eles têm suas próprias impressoras para isso!



5/19/2014

Impressoras para tudo! Panquecas na nova onda


A 3DSystems criou as impressoras de comidas com foco na estação espacial. Cientes que a aparência é tão importante para a alimentação quanto são os nutrientes, eles desenvolveram estas impressoras que acabaram virando febre mesmo, é em padarias, dadas as formas livres que elas podem produzir.

Desde então, vimos as impressoras de tacos, de bolos, de doces, chocolates e por que não, de panquecas. O princípio é tão simples quanto são todas as outras: uma movimentação articulada em X, Y e Z (esquerda - direita, frente - traz, e para cima e para baixo), com uma deposição por extrusão de um material, no caso, massa de panquecas.

Matéria original do http://3dprint.com/3943/pancakebot-pancake-printer/

5/16/2014

Qual a economia de ter uma impressora 3D?


Muitos me perguntam qual é a economia de uma impressora 3D? Afinal elas são caras, e como calcular o retorno desse investimento, e mais ainda, qual a vantagem de se ter uma impressora dessas em casa?

Não é novidade o fenômeno que a impressoras 3D se tornaram, explodindo no Brasil, mas em consonância com o resto do mundo, uma invasão de marcas, tecnologias, modelos, tipos e aplicações, e mesmo assim, a pergunta continua, para que? Muitos parecem se esquecer que os computadores já tiveram sua utilidade doméstica questionada, não fossem os visionários Jobs e Gates darem os ponta pés em computadores que eram, assim como as primeiras impressoras open-source, de madeira, improvisados, ligados na TV, e de aplicação de fato, duvidosa.

Os Smartphones, hoje tão comuns, também já foram alvos de especulação se iriam aderir. Quem é do tempo da Palm e dos Windows CE's, Mobiles e afins, sabem que um computador de mão, principalmente um integrado a um celular, era um luxo, uma fantasia, de praticidade questionada. Hoje há quem não viva sem o aparelhinho no bolso.

Com as impressoras, vemos uma terceira onda de uma história já conhecida se repetindo. Apenas em casa, já é possível reparar e substituir quase todas as aplicações domésticas, desde puxadores de gavetas que quebraram, porta toalhas, suportes e prateleiras, porta trecos (canetas, lápis, material didático ou culinário), a até mesmo produzir pequenas engenhocas no lar, feitas à base de fé e impressoras 3D, como é o caso das impressoras de comida, impressoras de grama (para o jardim?) e impressoras de tatuagens...

Apenas para efeito de exemplo, imaginem vocês que uma grama de PVC, o plástico utilizado em pratos de aniversário e em quase todos os descartáveis da casa, custe menos de um centavo a grama, vamos dizer, um centavo para cada 10 gramas do material. E que um pacote de pratinhos de aniversário custe, digamos, 5 reais, ao peso de 100 gramas. Isso significa pagar 5 reais por 10 centavos de matéria prima de PVC. Os R$ 4,90 restantes são lucro do fabricante, distribuição, lucro das revendas, embalagem, estocagem, impostos, impostos e impostos (e devem incidir mais impostos ainda). São 2500% acima do valor do material! E sim, a maior parte das matérias de uma impressora 3D é compatível com o contato com a comida.

Imaginem agora esses números propagados a outros exemplos, a todos que listamos acima, e segundo o site RepRap.org, a economia anual numa casa, para impressão de apenas 20 produtos domésticos por ano, aproximadamente 0,02% do universo de bugigangas do lar, e já se pode economizar de 500 à 5000 reais por ano, apenas em casa! Imaginem isso numa empresa...

Image Credits and original development of the article: http://www.prsnlz.me/maker/3d-printing-in-the-home-could-save-you-up-to-2000-dollars-a-year/

5/14/2014

Autodesk anuncia impressora 3D open-source Spark


A Autodesk que há tempos tem apoiado a iniciativa de impressoras 3D, com seus softwares CAD mundialmente utilizados e com o lançamento progressivo de ferramentas grátis ou muito baratas para engenharia reversa, como o 123D, software que transforma a câmera de um iPhone num scanner 3D, e incrivelmente prática, revelou no dia 14 de maio de 2014 que esses lançamentos e softwares poderiam ser uma ação planejada maior, o lançamento de uma impressoras 3D própria, mas há mais entre o céu e a terra do que julga sua vã filosofia...

A Autodesk não apenas anunciou o lançamento de sua impressora 3D, como anunciou que ela será movida, potencializada, com um software open-source para criação dos modelos 3D, um software ela espera, se torne o Android das impressoras 3D no mundo todo, o Spark. A metáfora, inclusive, é da própria Autodesk, que disse que sua estratégia de lançar um produto já com o software da casa, é para passar a confiabilidade e fomentar o uso por outros desenvolvedores de hardware, assim como o Google faz com seu Nexus, um dos smartphones Androids famoso por rodar a versão menos modificada do Android, sistema operacional da casa.

Ao mesmo tempo que faz dois lançamentos incríveis, a Autodesk ainda aproveita para ir na contra mão do mercado de impressoras open-source, enquanto diversos fabricantes apostam no sistema baseado em filamento, como a Cliever, Metamáquina e 3D System, a Autodesk aposta nas impressoras baseadas em SLA - Stererolitographic Aparathus, o sistema que utiliza um feixe de laser para curar uma resina fotossensível. Não são propriamente os ingredientes mais fáceis de se achar para entusiastas da impressão doméstica, o laser e a resina fotossensível, mas assim mesmo, com certeza será uma impressora 3D com uma resolução impressionante.

Curiosamente, essa impressora da Autodesk imediatamente me lembrou a impressora desenvolvida em casa, por Jose Carlos Veloso Junior, cujo site, justamente hoje também, se tornou privado e só dá acesso a pessoas previamente cadastradas. Incrível, não? Felizmente o site dele virou notícia e pode ser visto aqui: http://www.geekosystem.com/3d-printer-hi-res-upgrade/ e o vídeo da impressora dele aqui: https://www.youtube.com/watch?v=snOErpOP5Xk (é a mesma impressora que aparece nos vídeos do Jovem Nerd sobre impressoras 3D), e sim, esta impressora utiliza um Datashow para a projeção das imagens na resina, mas não deixa de ser similar a forma como a peça é construída "de ponta cabeça".

5/09/2014

Impressão 3D no cotidiano

Para aqueles que são engenheiros ou estudam e desenvolvem uma carreira seja ela na mecânica, eletrônica, aeroespacial, entre outras, um assunto é muito comum e indispensável para o cotidiano, a utilização de instrumentos de medição, calibradores, ferramentas e afins.
O que seriam dos nossos engenheiros se não pudessem fazer medições e verificar as precisões que tanto almejamos nesta área, sem isso as coisas não se encaixam e causam problemas futuros em componentes mecânicos.

Agora vamos pensar, se por exemplo um paquímetro ou uma ferramenta quebra, o que é o comum a se fazer, consertar? Comprar outro? Qualquer uma das opções pode te atrapalhar e fazer perder muito tempo, mas não para quem tem uma impressora 3D dentro de casa ou no escritório.

Exemplos como o engenheiro Brian Daniels, e com satisfação também o nosso estagiário Paulo Geisler, estudante de engenharia mecânica automobilística, fizeram suas próprias ferramentas em um software 3D e imprimiram, seja ela de medição ou de uso comum indispensáveis no cotidiano.

Paquímetro feito por Brian Daniels, que ficou surpreso com a precisão das máquinas PolyJet da Stratasys


Paulo Geisler projetou o estilete no software 3D CATIA V5 e imprimiu em uma uPrint da Stratasys






Fonte:
Blog Stratasys: http://blog.stratasys.com/2014/05/05/3d-printed-tape-measure/

LWT Software: www.lwtsoftware.com.br

5/05/2014

Da série, usos super legais das impressoras 3D: Fazedor de burritos

Pra você que é fã de uma comida mexicana e não tem muitas habilidades culinárias ou tem aquela preguiça de montar o seu burrito, ou tem que pagar uma fortuna por burritos, apresentamos a Burritobot, uma impressora 3D que faz burrito.


Utilizando a tecnologia de manufatura aditiva, essa impressora inventada por Marko Manriquez utiliza ingredientes mexicanos, como chili, guacamole, salsa, pico, entre outros para montar seu lindo e delicioso burrito.


Simplesmente adicionando os ingredientes nos cartuchos você pode programar a máquina através de um aplicativo de celular que a máquina se encarrega de fazer o resto.


Infelizmente o projeto ainda está na fase de protótipo, mas vamos esperar pacientemente que Marko termine essa grande maravilha, enquanto isso é lamber os dedos até o projeto ficar embalado e chegar até sua casa.

Já estou pensando quantas festas mexicanas poderei fazer com essa giringonça =D
Então prepare suas cervezas, seu mezcal e seu sombrero que por aí vem uma grande invenção gastronômica.







Fonte:
http://www.fastcodesign.com/1670070/burritobot-a-3-d-printer-that-spits-out-burritos#6




Contato

Formulário de contato

Nome

E-mail *

Mensagem *