2/25/2014

Mais patentes Stratasys chegam à Makerbot


Escrevi sobre o Material Solúvel que chegou às Makerbots recentemente, mas precisei do meu chefe me apontar que a nova Makerbot Replicator 2X também ganhou outra patente da companhia, o envelope fechado de construção, ou seja, a área onde o modelo é depositado e construído agora também tem uma área fechada.

Veja bem, a patente que permite fechar o envelope de construção é uma das ideias da Stratasys, mas especificamente de Scott Crumb que impede as impressoras abertas, no sentido de código, deixem de ser abertas, no sentido da impressão. Isso faz com que, mesmo a resolução da Cube 3 da 3DSystems seja de 50 microns, as camadas de 100 microns da Makerbot provavelmente produzirão peças melhores, pois não haverá encolhimento, desprendimento do modelo da base de modelação e outros problemas comuns à máquinas abertas, no sentido físico da palavra.



A Replicator 2X tem uma bandeja de impressão de 246 x 152 x 155 mm, uma camada de 100 microns e uma resolução com precisão de 11 microns em XY e de 2,5 microns em Z, sendo uma das máquinas mais precisas da família de impressoras domésticas.
E as novidades não pararam por aí, o novo software da família Makerbot, que substitui a solução Open Source ReplicatorG, agora se chama MakerWare, permite criar modelos coloridos, e enviá-los para impressão diretamente do seu iPad, tablet ou computador. Brilhante, simplesmente, brilhante. E essa é só a primeira novidade, pois a segunda grande novidade é o que o mesmo software, MakerWare, agora também faz o cálculo de suporte, a estrutura que permite construções elaboradas, geometrias complexas e, com a soma do material solúvel, partes móveis impressas diretamente da impressora. Tudo isso em PLA ou no plástico estrela da engenharia, o ABS.

A Makerbot já havia revolucionado a acessibilidade à impressoras 3D ao trazer incluído em todas, veja bem, TODAS AS CÓPIAS DO WINDOWS 8.1, pré instalado, um gestor de impressoras 3D, junto ao painel de controle de impressão, dando um passo definitivo para converter as impressoras domésticas em algo realmente cotidiano, mas os novos softwares e soluções não apenas viabilizam as impressoras, como as tornam multiplataformas, simples de serem operadas e com grande ecossistema de softwares para apoiá-las. Parcerias como a Autodesk com o software 123D, que permite gerar objetos para impressão, criar conjuntos em STL para imprimir em cores separadas e criar/modificar seus próprios modelos, até aqueles escaneados pelo seu smartphone, através do aplicativo de mesmo nome.



Eu sei que eu já estou ansioso para as impressoras 3D domésticas da Makerbot chegarem às lojas brasileiras, e vocês?

2/24/2014

Material solúvel chega às MakerBots!


A Makerbot foi comprada pela Stratasys, e muitos perguntavam o que seria da tecnologia open-source numa nova casa. Houve comoção com o fechamento do código do software da impressora, mas as mudanças reais pareciam não chegar às impressoras, até agora...

Foi lançado com os novos materiais da impressora, o material solúvel! O termo não é suporte solúvel como nas impressoras da Stratasys, pois o cálculo de suporte ainda não chegou aos softwares, mas imprimir em materiais solúvel, e dimensionar isso no software da impressora, já é possível.

Agora, o mais curioso não é o uso do material solúvel, mas sim o sistema de dissolução deste suporte. Para esclarecer, o suporte solúvel se baseia numa blenda, num plástico orgânico à base de açúcares, ou seja, nada mais é do que uma peça de açúcar. A dissolução do açúcar, contudo, não é simplória, pois o açúcar satura a água em apenas 30% da solução, tornando a água inútil.

Na família Stratasys, a solução foi a criação de um solvente, que aumenta o efeito da água sobre a dissolução do açúcar, e existem tanques, com vibração por ultrassom, que renovam a mesma água ao redor da peça, sem necessariamente agitar a peça, que poderia quebrar regiões delicadas nas peças impressas. Mas a Makerbot não trás o tanque de dissolução do suporte, seria mais caro do que a própria impressora, então, como fazer?

A solução está disponível no mercado e doceria mais próxima da sua casa! Limonene, um tipo de soda limonada disponível nos mercados dos Estados Unidos e que deve haver, seguramente, um equivalente brasileiro. Claro que o tanque de suporte solúvel remove o material em até 4 horas, 6 horas nos casos de geometrias complexas, enquanto a limonada tarda de 8 a 24 horas, mas ainda assim, interessante, não?

Então é isso, agora a Makerbot já tem materiais solúveis, para criar peças para mil aplicações, e dissolvê-lo em limonada! Falem sobre ecologicamente correto agora...

2/21/2014

The New Cube 3 3D Printer (+playlist)




A nova impressora Cube 3 da 3D Systems tem de tudo para se tornar a melhor e mais bonita impressora da família doméstica. Com um acabamento primoroso, ela agora tem um design para pertencer a uma casa, com qualidades que o próprio comercial destaca, como ser mais segura para ser usada próxima à crianças, com o filamento de material oculto, a linda iluminação e o painel de controle na impressora, em display colorido.

As características não param por aí, além de utilizar até 3 materiais simultâneos, permitindo peças com mais cores, a impressora ainda tem a impressionante resolução de 75 microns por camada. Inédito na sua categoria de produtos. Coroa a máquina que é realmente voltada para um uso doméstico, a facilidade de operação de seu software: até mesmo um smartphone ou tablet android são capazes de enviar trabalhos para impressão agora, com total gestão da impressora via WiFi. Isso mesmo, esta é também, talvez, a primeira impressora 3D a funcionar totalmente WiFi!

Ainda há restrições, claro, ao processo, que a determina como doméstica, como a ausência de um material de suporte, a construção num envelope de modelação que não é fechado, que gera distorções no arquivo, e os materiais restritos ao ABS e/ou PLA, mas sem dúvida, este foi um dos maiores passos que essa tecnologia já deu na direção de tornar as impressoras 3D domésticas de verdade.

Podemos dizer que a nova Cube 3 faz pelas impressoras domésticas aquilo que a Apple fez pelos computadores, e isso é mais do que uma metáfora quando medimos o quanto foi investido em design e em acabamento nessa tecnologia, as cores brancas, as formas arredondadas, a beleza que faz, não por acaso, seu comercial mostrá-la numa sala. Se outras impressoras dão um toque hacker/laboratório maluco ao ambiente, esta sem dúvida o decora. Parabéns, 3D Systems, e obrigado por mostrar um novo caminho para as impressoras.

O modelo anterior ainda pode ser encontrado à venda através da Saraiva ou do WallMart, com valores bastante competitivos, mas a nova impressora ainda não tem preço ou prazo para chegar ao Brasil.

Para saber mais: http://www.cubify.com/cube

2/20/2014

Impressoras 3D para medicina: InVersalius 3.0


Na semana passada, entre as prospecções que realizo e os suportes à vendas que faço, uma procura me chamou a atenção, uma empresa que atua com ressonância eletromagnética estava interessada em impressoras 3D, mas temia que fosse algo trabalhoso converter os arquivos obtidos pelo processo de ressonância em arquivos STL, Single Triangulation Language, o arquivo que todas as tecnologias em impressoras 3D podem ler e imprimir.

Acontece que no mercado mundial, a melhor solução para realizar esse tipo de conversão, não somente para esta empresa, mas todas que realizam estudos médicos em 3D, é através de um software que é brasileiro e é grátis, chamado InVesalius,, desenvolvido pelo CTI de Campinas, São Paulo.

A solução elegante, é também pioneira em acessibilidade, levando a impressora 3D a um dos campos onde pode oferecer os máximos benefícios, a área médica, na geração de próteses, simulações de cirurgias através de modelos físicos e toda forma de estudos. Se você também tem curiosidade sobre esse tema, faça o download do software, ajude a divulgar esta importante solução criada pelo engenho de nossos cientistas, pesquisadores e programadores!

O link para download é: http://svn.softwarepublico.gov.br/trac/invesalius

2/17/2014

Livro Prototipagem Rápida agora se chama Impressoras 3D

 Compre o livro!

Faz algum tempo que o termo Prototipagem Rápida já não reflete aquilo que as impressoras 3D são capazes de fazer. Não que o termo seja demasiado abrangente, exatamente o oposto, as impressoras 3D hoje são capazes de produzir moldes, ferramentas, dispositivos, conjuntos direto para a produção, além, é claro, de servir de prototipagem rápida.

Com isso em mente, a reformulação do meu livro sobre Prototipagem Rápida, atualizando as tecnologias, mudando o foco que era demasiado sobre tecnologias abertas e se tornando mais abrangente, cobrindo mais tecnologias e mais aplicações.

Contato

Formulário de contato

Nome

E-mail *

Mensagem *