12/08/2014

Mais impressoras 3D na midia


http://youtu.be/ROZhrRm88ms

Até a Apple, para nos mostrar o que fazer com o novo iPad Air não resiste a mostrar uma impressora 3D em seu comercial.

Nesse espacinho de tempo e em meio à tantas coisas incríveis, a time lapse de uma umpressão 3D se faz presente. E você? Gostaria de imprimir algo à partir de seu iPad? Então baixe o 123D da Autodesk, faça 20 fotos de algo (requer prática), e mande imprimir. Pode ser numa Makerbot?

11/28/2014

Netflix promove documentário sobre impressoras 3D


Fonte: http://www.adnews.com.br/midia/netflix-promove-documentario-exclusivo-sobre-impressao-em-3d

Este fantástico documentário embarca no estilo de documentários sobre tecnologia, como a própria Netflix já fez sobre a Apple, Facebook, sigilosidade na rede, e aborda as empresas de impressoras 3D dos Estados Unidos, desde 2009 à meados de 2014, seguindo de perto a carreira do Bre Pettis, fundador da Makerbot, e dos fundadores da FormLab, empresa que nasceu de um projeto do Kickstarter.

É impressionante ver a evolução das empresas e das pessoas, a evolução de Bre, de visionário da indústria Open-Source, e a forma como enfrenta os desafios de fundir sua companhia com a gigante das impressoras 3D e como estas mudanças também o afetam como pessoa. Um documentário que tem as impressoras 3D como tema, mas que invariavelmente tem as pessoas e suas mudanças em foco.

Não esperem ver muita explicação sobre a tecnologia ou detalhamento do que os proprietários fazem com suas impressoras, mas nem por isso esse documentário deixa a desejar. Altamente recomendado.

11/21/2014

Stratasys lança novo material: ULTEM1010


Quem já viu uma das minhas palestras sobre impressoras 3D já conhece minha paixão pelo termoplástico PPSF, polifenilsulfona, um termoplástico resistente à praticamente todos os agentes químicos, em especial os derivados do petróleo, termoplástico que nos permitiu, por exemplo, imprimir a caixa do filtro de óleo do motor Perkins, que funcionou por 76 horas numa condição de 240°C.

Mas a Stratasys decidiu que o ABS não seria o único termoplástico a ganhar um sucessor superior. Assim como o ABS ganhou o ASA, o PPSF ganha o novo ULTEM1010. Apesar do nome comercial, o ULTEM é em média 4 vezes mais resistente que o Policarbonato e tem o dobro da tensão de alongamento, além de ser aprovado em FST (Flame, Smoke and Toxity), o que permite a peças impressas em ULTEM sairem da impressora e montarem diretamente num avião, por exemplo, pois são aprovadas segundo as normas da aeronáutica, que obriga os materiais que ficarão confinados numa atmosfera fechada como um avião a não propagaram chamas, não gerarem fumaça e nem vapores tóxicos.

A união do ULTEM com o PPSF fez nascer o ULTEM1010, um termoplástico não apenas duro na queda, como também resistente à abrasão química.

O novo material estará disponível à princípio para os sistemas Fortus450mc e Fortus900mc, sendo que na Fortus900mc ele contará com a opção do suporte solúvel.

Para saber mais sobre o novo material, acesse: http://www.stratasys.com/materials/fdm/ultem-1010

11/19/2014

Novas máquinas Objet da família Stratasy


O mês de novembro foi um mês cheio de novidades para a Stratasys, nada mais natural, já que a edição da EuroMold realizada na Alemanha, anualmente em novembro, é também o ano do Keynote da Stratasys anunciar suas novidades, entre elas, os novos materiais, como ASA, ULTEM 1010 e Nylon, seus novos sistemas FDM e, claro, suas novas máquinas PolyJet.

Dentre os lançamentos, a joia da coroa, em minha modesta opinião, é a nova Objet 30 Prime, uma máquina desktop com 12 opções de materiais e 3 opções de camadas, incluindo a inovadora camada Draft de 36 microns, ainda muito melhor resolução que a mais fina das camadas FDM, que na família Fortus chega a 127 microns.

Em aparência, a nova máquina é idêntica à suas irmãs Objet30Pro e Objet30, as grandes vantagens estão por dentro da máquina. Suas novas placas controladoras e um sistema aprimorado de deposição são os principais responsáveis pelas novidades dos sistemas.

Com relação aos materiais, o novo sistema suporta duas opções de tango, trazendo os materiais flexíveis para família desktop, antes opção válida apenas para os sistemas Eden, mais caros. Além disso, acumula 4 opções de Rígidos Opacos, VeroClear, VeroGray, VeroWhitePlus e VeroBlackPlus, e soma por fim, a opção de material biocompatível, outra novidade na família de desktops, o MED610. Tudo isso sem perder os materiais Endur, Durus e High-Temp,
E o novo modo de impressão, por fim, além de muito mais rápido, também economiza muito material na impressão, afinal, são menos camadas por milimetro de altura.


Este lançamento não seria fantástico se não fosse o fato de aliar tantas novidades por um preço ligeiramente superior à Objet30Pro, acumulando num sistema, inúmeras vantagens.

Para saber mais sobre esse sistema, acesse: http://www.stratasys.com/3d-printers/design-series/objet30-prime

11/17/2014

Impressoras 3D na mídia!


Em apenas duas semanas, a Stratasys dá um show de exibição na televisão. No episódio 5 da sétima temporada de Castle, nosso criminoso é flagrado usando uma impressora 3D para cometer seus crimes.


Apenas uma semana depois, e foi Person of Interest, episódio 7 da quarta temporada que as impressoras 3D, 3 Dimenions 1200 aparecem em uso, nos planos dos vilões, mais uma vez.

Impressoras 3D não são novidade na mídia, Elementary já tinha usado também em um dos seus casos, uma impressoras 3D, mas agora, com nome e sobrenome da Stratasys, foi uma inserção bastante interessante.

Novas máquinas FDM da Stratasys


As duas máquinas que mais vendem, por sua relação custo benefício, especificamente falando de opções de materiais e tamanhos de impressão, Fortus 360mc e Fortus 400mc foram renovadas, e as mudanças vão muito além da estética, o que por si só, já seriam suficientes para tornar estas máquinas incríveis.

Os novos sistemas contam com um exclusivo painel interativo, antes já utilizado nas máquinas Vantage e Quantum, agora ampliados em funções, graças principalmente à evolução e queda dos preços de painéis sensíveis ao toque. Através desse painel, não apenas as operações com a máquina serão facilitadas, mas principalmente as manutenções, diminuindo muito o tempo de máquina parada e os custos dos técnicos em materiais, como laptops para acesso direto ao Sistema Operacional embarcado.

As mudanças, claro não param por aí, estas novas máquinas incluem também seus próprios compressores de ar, antes uma compra obrigatória e não vendida pela Stratasy, valorizando o TCO, Total Cost of Ownership, custo total da aquisição, tornando os preços mais transparentes desses equipamentos.

Além disso, seu exclusivo sistema de Toolpath torna a construção de arquivos muito mais rápidas, esses sistemas distribui muito melhor a alternância entre a deposição do material da peça e do suporte. Individualmente, a Fortus900mc ainda é a máquina mais rápida, mas peças com grandes quantidades de suporte podem ser impressas mais rápidas nestes novos sistemas do que a própria Fortu900mc faria.

Por fim, a Stratasys aposenta de vez a possibilidade de fazer upgrade da área de impressão, recurso dos modelos 360 e 400, tornando mais evidente a diferença entre os sistemas, a Fortus 380mc será agora com o tamanho único de 355x305x305, já maior que a Fortus360mc era sem o upgrade, e a Fortus450mc terá o tamanho da bandeja antiga com a opção do upgrade, tamanho de 406x355x406.

Estas máquinas já são compatíveis com os novos materiais ASA e Nylon.


Para saber mais sobre os equipamentos, acesse o site da Stratasys.com!

11/13/2014

Novo material da família FDM Stratasys: ASA


ASA atende por Acrylonitrile Styrene Acrylate, é mais conhecido no mercado como Luran, Geloy, Starex ou Kibilac, um material muito parecido ao ABS, com vantagens em todas as características ao redor de 3 a 5% e o grande diferencial de ser resistente à luz UV, impedindo que peças impressas pudem ser usadas diretamente em espaços abertos, como coberturas de lâmpadas de jardim, suportes de regadores e demais componentes, antes inviáveis em ABS, que em um ano ou tanto iria deteriorar.

Mas o UV apenas não é a maior diferença desta tecnologia. Com pequenos aumentos em cada uma das suas propriedades mecânicas em relação ao ABS, o conjunto destas melhorias torna o material incrivelmente superior, e o melhor, pelo mesmo preço do ABS!

A principal vantagem destas melhoria se traduzem em um ângulo de auto-sustentação, ou seja, a curva da peça máxima antes de precisar de estruturas de apoio, muito maiores. Da mesma forma, com a melhora do ângulo de sustentação, a peça passa a ter uma colmeia interna, quando impressa na condição oca, muito maior, imprimindo com muito menos material, consumindo ainda menos suporte, e lógico, em menos tempo. Para fins de comparação, imagine o alter abaixo:

É evidente a diferença na malha interna dos dois arquivos, e logo a diferença entre os pesos e tempos de impressão. Quase a metade do peso entre os dois objetos, com a mesma resistência mecânica.

O material está disponível nas máquinas Fortus 360mc, Fortus 380mc, Fortus 400mc, Fortus 450mc e Fortus 900mc, como opção de material.

9/08/2014

Makerbot Mini vs uPrint SE


Uma rápida comparação entre uma Makerbot e uma uPrint em funcionamento. A uPrint é em média 4 vezes mais rápida, com uma precisão muito superior no arquivo, definindo aquilo que dizemos em nossas palestras: a Makerbot é uma excelente máquina doméstica, mas quando falamos de empresas, a uPrint é superior.

9/07/2014

Impressoras 3D: como, quanto, por quê?



Gostei muito do vídeo, e aproveito para destacar a exibição da impressora funcionando e o processo do acabamento das peças utilizando acetona. Vale à pena.

9/05/2014

Mais vendido da semana! Obrigado!

 Compre! Compre! Compre!
Mais vendido da semana! Eu não pensei que um tema tão de nicho quanto impressoras 3D pudesse chegar a esse ponto, mas quero agradecer à todos pela "graça alcançada".

Se achar vocês que compraram, darei um abraço em cada um. E ninguém escapará sem um autógrafo, prometo.

Se você também quer sua cópia, compre em: https://clubedeautores.com.br/book/40310--Impressoras_3D?topic=informatica

9/04/2014

Fast Review: Revista Galileu #277, Agosto de 2014

A revista Galileu número 277 de agosto de 2014 estampa em sua capa uma chamada sobre Impressoras 3D, tema que vem ganhando relevância à cada mês, principalmente desde fevereiro/março de 2013, quando o assunto explodiu na mídia, chegando ao ápice do primeiro fórum mundial sobre tema realizado no Brasil, Inside 3D Printing 2014.

Sobre a matéria, a revista foi muito feliz em escolher não abordar marcas ou tecnologias, mas discutir aplicações, e o melhor, aplicações não convencionais, fruto de impressoras especiais dedicadas, como impressoras de casa/concreto, impressoras de comida, de órgãos e cartilagens. As aplicações industriais não foram totalmente esquecidas, com o case da BMW, por exemplo, e claro, a arma de fogo em 3D, que já apareceu no seriado Elementary, também está lá.

Minha crítica fica com "3 razões por que elas não vingaram". Não acho que um assunto tão em pauta, e com um crescimento incrível do número de empresas no Brasil, como a Mesh and Maker, 3D Cloner, Metamáquina e Cliever, sejam prova disso. E os argumentos são ainda mais bizarros.

A verdade é que o Apple I e o Apple II abriram as portas dos PC's (ou PowerPC's, como preferir), mas ainda assim, levaram quase 10 anos para os computadores domésticos serem uma realidade em diversos lares do mundo. Cria-se a ferramenta, logo surgem os usos. Basta não querer apressar os processos, e deixar a tecnologia seguir seu curso. De resto, a matéria é ótima.

8/01/2014

Óculos de proteção em tempo recorde

A empresa de consultoria Design Reality do reino unido resolveu tirar um ótimo proveito da sua Objet Connex3, construir um óculos de proteção em até 3 dias, isso incluindo o desenvolvimento da idéia, o design, as modificações e é claro a peça final montada e testada.




O desafio foi concluído com maestria, um par de óculos, já em 3 cores, com vedação e lente, pronto para uso em apenas 11 horas e 52 minutos.

Assistam o vídeo desse desafio:

7/15/2014

Imprima sua Taça da Copa 2014 em 3D

A Copa não terminou como queríamos e a taça, infelizmente, não ficará em casa. Mas graças ao video encontrado no site 3D Printing Channel, agora podemos fazer a nossa e gritar felizes que a taça fica aqui no Brasil!

Assista este video no qual é mostrada a impressão 3D da taça da Copa 2014 com uma Ultimaker. 

*Veja também: 

7/13/2014

Exoesquelto impresso em 3D

Hoje é o encerramento da Copa do Mundo 2014 e vale a pena lembrar uns dos momentos mais esperados da abertura: o momento no qual um paraplégico daria o primeiro chute da Copa graças a um exoesqueleto. O momento que, graças a que foi ignorado completamente pela FIFA, teve grande repercussão nas redes sociais. 

Para nós de Impresso 3D, esse momento será lembrado por muitos anos por vários motivos; entre eles, o fato do exoesqueleto ter sido parcialmente feito com peças impressas em 3D. 

O exoesqueleto é a criação do cientista brasileiro Miguel Nicolelis, quem fundou o projeto "Andar de novo"(Walk again projet) e cujo objetivo é devolver a capacidade de pessoas com deficiência possam se movimentar só com o pensamento...e um capacete cheio de sensores. 

Aqui, deixamos o momento em que Juliano Pinto de 29 anos, paralizado da cintura para baixo, da o primeiro chute da Copa 2014. 



7/07/2014

Travas do solado feitas em impressoras 3D

Já falamos sobre o case de sapatos e impressoras 3D. Hoje deixamos com você um vídeo da empresa New Balance no qual podem ser vistas as primeiras chuteiras com as travas do solado impresas em 3D.



7/04/2014

3DPB - Imprimindo com sacos de areia


Matéria original de: http://3dprint.com/7716/earthbag-3d-print-house/

Não sei se estamos chegando a um limiar sobre o que é impressora 3D, ou não, mas isso claramente me parece cruzar esse limiar. Segundo esse artigo, a empresa 3D Printed EarthBag Houses (3DPB), desenvolveu um carrinho, do estilo empilhadeiras ou carregadores de carga (Bobcat T300 Skid) para preencher de areia sacos gigantes, que forma isolantes de temperatura e ruídos para casas de contêineres de metal.

Segundo a reportagem original, esse processo é 1,3333% mais rápido que encher os sacos manualmente. Claramente eles não conhecem alguns dos meus colegas, que são capazes de encher o saco muito mais rápido que qualquer carrinho...

7/03/2014

China constrói impressora com 12 metros cúbicos


A matéria é original do site: http://3dprint.com/7181/china-huge-3d-printer/

E a China querendo provar que o velho adágio "Quanto maior, melhor", construiu a maior impressora que se tem notícias, uma impressora com nada mais, nada menos, que 12 metros em cada eixo. A impressora, que utiliza uma combinação de grafeno e fibra de carbono, tem como missão construir uma réplica do Templo do Paraíso, de Beiji.

A impressora foi oficialmente apresentada, como está na foto, na segunda feira mundial de impressoras 3D, realizada no país e cidade sede da desenvolvedora, Qingdao, onde a Qingdao United Products está localizada.

Será que foi com uma dessas que a muralha da China original teria sido construída?

5/26/2014

iPad 3D Printing Applications

Diversas impressoras 3D têm sido lançadas, com as mais diferentes construções, materiais e maneiras de empilhar matérias para produzir peças, produtos ou grama, mas uma coisa todas estas tecnologias têm ganhado em comum: o iPad!

Numa era que caminha para a inexorável extinção dos jornais impressos, orelhões, pochetes e claro, dos desktops, o iPad tem surgido como opção natural entre os entusiastas na hora de gerar aplicativos.  No nosso último post abordamos o aplicativo para desenho de seus avatares em 3D, mas outro grande aplicativo útil nos dias de hoje é aquele que gerencie a sua impressora.

A 3DSystems tem uma coleção de aplicativos para o iPad, que vão desde ferramentas de desenho a até gestores da impressora 3D:


A Makerbot não vem atrás e lançou um scanner 3D para o iPad, capaz de converter uma sucessão de fotos processadas na nuvem, em um arquivo que pode ser impresso em 3D:


Ainda na onda de conseguir objetos em 3D, a Makerbot também disponibiliza para iPhones, um sistema bastante prático de navegar entre sua gigantesca comunidade online de modelos 3D, a Thingiverse:


Logo mais, as impressoras serão tão invisíveis em nossos lares como são hoje as geladeiras e fogões, que após escolhidos, não observamos mais seus detalhes ou curiosidades, apenas os usamos e os mantemos limpos, só dando pela falta deles, quando quebram. Imprimir em 3D, logo será tão cotidiano e prático, quanto enviar um email, ou até mais simples.

5/20/2014

Celulares em braile, impressos em 3D! (updated!)


Vou ser honesto, esta matéria foi publicada originalmente pelo site do Olhar Digital, mas a ideia é tão fantástica, que eu precisava registrar aqui também, para a posterioridade. 

Em síntese, a empresa inglesa OwnFone desenvolveu telefones em braile, muito acessíveis, (ao redor de 280 reais), feitos diretamente das impressoras 3D para as mãos de seus clientes. Até mesmo quem não é cego pode utilizá-lo, pois pode-se imprimi-los com números grafados sob os relevos do braile, direto na impressão 3D. 

A empresa foi fundada por Tom Sunderland, graduado em artes pela Royal College of Art e o foco inicial da empresa era criar telefones celulares fáceis de operar para a terceira idade, tornando fácil o contato em casos de emergências. Após isso, veio o desenvolvimento do 1stfone, um telefone para crianças, no sentido de segurança e contato com os pais, sem SMS, sem internet, apenas chamadas telefônicas. 

Telefones feitos em 3D, mesmo celulares não são novidade, esta mesma empresa já teve outros dois modelos, mas é uma ideia fantástica, não é? (muito melhor que a impressora de grama!).

Atualmente a empresa planeja ampliar as vendas para a Austrália também, e quem quiser brincar de configurar seu próprio aparelho, para ver quão legal é a ideia, basta acessar o site deles: http://www.myownfone.com. Ah, sim, eles têm suas próprias impressoras para isso!



5/19/2014

Impressoras para tudo! Panquecas na nova onda


A 3DSystems criou as impressoras de comidas com foco na estação espacial. Cientes que a aparência é tão importante para a alimentação quanto são os nutrientes, eles desenvolveram estas impressoras que acabaram virando febre mesmo, é em padarias, dadas as formas livres que elas podem produzir.

Desde então, vimos as impressoras de tacos, de bolos, de doces, chocolates e por que não, de panquecas. O princípio é tão simples quanto são todas as outras: uma movimentação articulada em X, Y e Z (esquerda - direita, frente - traz, e para cima e para baixo), com uma deposição por extrusão de um material, no caso, massa de panquecas.

Matéria original do http://3dprint.com/3943/pancakebot-pancake-printer/

5/16/2014

Qual a economia de ter uma impressora 3D?


Muitos me perguntam qual é a economia de uma impressora 3D? Afinal elas são caras, e como calcular o retorno desse investimento, e mais ainda, qual a vantagem de se ter uma impressora dessas em casa?

Não é novidade o fenômeno que a impressoras 3D se tornaram, explodindo no Brasil, mas em consonância com o resto do mundo, uma invasão de marcas, tecnologias, modelos, tipos e aplicações, e mesmo assim, a pergunta continua, para que? Muitos parecem se esquecer que os computadores já tiveram sua utilidade doméstica questionada, não fossem os visionários Jobs e Gates darem os ponta pés em computadores que eram, assim como as primeiras impressoras open-source, de madeira, improvisados, ligados na TV, e de aplicação de fato, duvidosa.

Os Smartphones, hoje tão comuns, também já foram alvos de especulação se iriam aderir. Quem é do tempo da Palm e dos Windows CE's, Mobiles e afins, sabem que um computador de mão, principalmente um integrado a um celular, era um luxo, uma fantasia, de praticidade questionada. Hoje há quem não viva sem o aparelhinho no bolso.

Com as impressoras, vemos uma terceira onda de uma história já conhecida se repetindo. Apenas em casa, já é possível reparar e substituir quase todas as aplicações domésticas, desde puxadores de gavetas que quebraram, porta toalhas, suportes e prateleiras, porta trecos (canetas, lápis, material didático ou culinário), a até mesmo produzir pequenas engenhocas no lar, feitas à base de fé e impressoras 3D, como é o caso das impressoras de comida, impressoras de grama (para o jardim?) e impressoras de tatuagens...

Apenas para efeito de exemplo, imaginem vocês que uma grama de PVC, o plástico utilizado em pratos de aniversário e em quase todos os descartáveis da casa, custe menos de um centavo a grama, vamos dizer, um centavo para cada 10 gramas do material. E que um pacote de pratinhos de aniversário custe, digamos, 5 reais, ao peso de 100 gramas. Isso significa pagar 5 reais por 10 centavos de matéria prima de PVC. Os R$ 4,90 restantes são lucro do fabricante, distribuição, lucro das revendas, embalagem, estocagem, impostos, impostos e impostos (e devem incidir mais impostos ainda). São 2500% acima do valor do material! E sim, a maior parte das matérias de uma impressora 3D é compatível com o contato com a comida.

Imaginem agora esses números propagados a outros exemplos, a todos que listamos acima, e segundo o site RepRap.org, a economia anual numa casa, para impressão de apenas 20 produtos domésticos por ano, aproximadamente 0,02% do universo de bugigangas do lar, e já se pode economizar de 500 à 5000 reais por ano, apenas em casa! Imaginem isso numa empresa...

Image Credits and original development of the article: http://www.prsnlz.me/maker/3d-printing-in-the-home-could-save-you-up-to-2000-dollars-a-year/

5/14/2014

Autodesk anuncia impressora 3D open-source Spark


A Autodesk que há tempos tem apoiado a iniciativa de impressoras 3D, com seus softwares CAD mundialmente utilizados e com o lançamento progressivo de ferramentas grátis ou muito baratas para engenharia reversa, como o 123D, software que transforma a câmera de um iPhone num scanner 3D, e incrivelmente prática, revelou no dia 14 de maio de 2014 que esses lançamentos e softwares poderiam ser uma ação planejada maior, o lançamento de uma impressoras 3D própria, mas há mais entre o céu e a terra do que julga sua vã filosofia...

A Autodesk não apenas anunciou o lançamento de sua impressora 3D, como anunciou que ela será movida, potencializada, com um software open-source para criação dos modelos 3D, um software ela espera, se torne o Android das impressoras 3D no mundo todo, o Spark. A metáfora, inclusive, é da própria Autodesk, que disse que sua estratégia de lançar um produto já com o software da casa, é para passar a confiabilidade e fomentar o uso por outros desenvolvedores de hardware, assim como o Google faz com seu Nexus, um dos smartphones Androids famoso por rodar a versão menos modificada do Android, sistema operacional da casa.

Ao mesmo tempo que faz dois lançamentos incríveis, a Autodesk ainda aproveita para ir na contra mão do mercado de impressoras open-source, enquanto diversos fabricantes apostam no sistema baseado em filamento, como a Cliever, Metamáquina e 3D System, a Autodesk aposta nas impressoras baseadas em SLA - Stererolitographic Aparathus, o sistema que utiliza um feixe de laser para curar uma resina fotossensível. Não são propriamente os ingredientes mais fáceis de se achar para entusiastas da impressão doméstica, o laser e a resina fotossensível, mas assim mesmo, com certeza será uma impressora 3D com uma resolução impressionante.

Curiosamente, essa impressora da Autodesk imediatamente me lembrou a impressora desenvolvida em casa, por Jose Carlos Veloso Junior, cujo site, justamente hoje também, se tornou privado e só dá acesso a pessoas previamente cadastradas. Incrível, não? Felizmente o site dele virou notícia e pode ser visto aqui: http://www.geekosystem.com/3d-printer-hi-res-upgrade/ e o vídeo da impressora dele aqui: https://www.youtube.com/watch?v=snOErpOP5Xk (é a mesma impressora que aparece nos vídeos do Jovem Nerd sobre impressoras 3D), e sim, esta impressora utiliza um Datashow para a projeção das imagens na resina, mas não deixa de ser similar a forma como a peça é construída "de ponta cabeça".

5/09/2014

Impressão 3D no cotidiano

Para aqueles que são engenheiros ou estudam e desenvolvem uma carreira seja ela na mecânica, eletrônica, aeroespacial, entre outras, um assunto é muito comum e indispensável para o cotidiano, a utilização de instrumentos de medição, calibradores, ferramentas e afins.
O que seriam dos nossos engenheiros se não pudessem fazer medições e verificar as precisões que tanto almejamos nesta área, sem isso as coisas não se encaixam e causam problemas futuros em componentes mecânicos.

Agora vamos pensar, se por exemplo um paquímetro ou uma ferramenta quebra, o que é o comum a se fazer, consertar? Comprar outro? Qualquer uma das opções pode te atrapalhar e fazer perder muito tempo, mas não para quem tem uma impressora 3D dentro de casa ou no escritório.

Exemplos como o engenheiro Brian Daniels, e com satisfação também o nosso estagiário Paulo Geisler, estudante de engenharia mecânica automobilística, fizeram suas próprias ferramentas em um software 3D e imprimiram, seja ela de medição ou de uso comum indispensáveis no cotidiano.

Paquímetro feito por Brian Daniels, que ficou surpreso com a precisão das máquinas PolyJet da Stratasys


Paulo Geisler projetou o estilete no software 3D CATIA V5 e imprimiu em uma uPrint da Stratasys






Fonte:
Blog Stratasys: http://blog.stratasys.com/2014/05/05/3d-printed-tape-measure/

LWT Software: www.lwtsoftware.com.br

5/05/2014

Da série, usos super legais das impressoras 3D: Fazedor de burritos

Pra você que é fã de uma comida mexicana e não tem muitas habilidades culinárias ou tem aquela preguiça de montar o seu burrito, ou tem que pagar uma fortuna por burritos, apresentamos a Burritobot, uma impressora 3D que faz burrito.


Utilizando a tecnologia de manufatura aditiva, essa impressora inventada por Marko Manriquez utiliza ingredientes mexicanos, como chili, guacamole, salsa, pico, entre outros para montar seu lindo e delicioso burrito.


Simplesmente adicionando os ingredientes nos cartuchos você pode programar a máquina através de um aplicativo de celular que a máquina se encarrega de fazer o resto.


Infelizmente o projeto ainda está na fase de protótipo, mas vamos esperar pacientemente que Marko termine essa grande maravilha, enquanto isso é lamber os dedos até o projeto ficar embalado e chegar até sua casa.

Já estou pensando quantas festas mexicanas poderei fazer com essa giringonça =D
Então prepare suas cervezas, seu mezcal e seu sombrero que por aí vem uma grande invenção gastronômica.







Fonte:
http://www.fastcodesign.com/1670070/burritobot-a-3-d-printer-that-spits-out-burritos#6




4/30/2014

Impressoras 3D para fundição

Antigamente as aplicações de uma impressora 3D eram bastante restritas a apenas protótipos, originando então o termo prototipagem rápida, que hoje em dia foi substituída por manufatura aditiva. Os materiais que se utilizam hoje, e a gama de termoplásticos utilizados por essas impressoras torna o uso das impressoras muito mais abrangentes.

A Danko Arlington é uma empresa de fundição em areia situada em  Baltimore, Maryland. A Danko comprou um Sistema de Produção Fortus 900mc 3D da Stratasys a três anos atrás para auxiliar no processos que até então eram feitos à moda antiga.

Desde então, o entendimento da Danko sobre Fused Deposition Modeling ( FDM ) se tornou muito claro e óbvio sobre a tecnologia, ela poderia substituir totalmente os métodos tradicionais e aumentar a produtividade criando padrões de peças para fundição em termoplástico.

Exatamente, eles substituíram completamente o método antigo de fundição com as seguintes vantagens:

1- Possibilidade de criação rápida de diversos designs das peças.
2- Precisão.
3- Possibilidade de incorporar raios variáveis, chavetas, pinos e folgas.
4- Processo semi-automatizado.
5- Menos programação e configuração de máquinas.
6- Facilidade de modificação do projeto CAD para nova impressão.
7- Confiabilidade.

Além disso, eles utilizam as peças impressas para marketing e vendas.

Confira no vídeo:


Fonte: Blog Stratasys

4/27/2014

Resenha: 3D Printing, Build Your Own 3D Printer




PrintrBot Simple, uma das menores e mais baratas impressoras 3D para montar em casa, seu kit custa, sem contar o frete, ao redor de 349 dólares. E apesar de tão pequena, uma área de impressão incrível de 100mm cúbicos. Usa PLA, pelas limitações do cabeçote extrusor, mas também pela natureza, visto que PLA é amido, milho, basicamente. 

Construir uma impressora 3D te ensina mais do que qualquer outro hobbie, pois te ensina a programação, eletrônica, lógica, princípios da impressão 3D, mas, se isso não fosse suficiente, há ainda um excelente livro sobre o tema à venda na Amazon e na KoboStore (livraria cultura), 3D Printing, Build Your Own 3D printer, é um livro delicioso de ser lido.

O autor, James Kelly, já me ganhou na premissade ensinar sem cair na armadilha do tecniquês, deixando a linguagem do livro fluída e contínua. Pena que seja especificamente focado em construir o kit da PrintrBot, a MakerBot que conserva sua natureza aberta e simples, mas de forma geral, todo conteúdo do livro se aplica a todas impressoras FOSS, free Open SourceSystems.. Com esse livro e o site da ReRap.org aberto, qualquer do mais de 20 modelos de impressoras lá disponíveis podem ser feitasna sua casa. O custo? Aproximadamente 600 reIs entre motores de passo, controladora arduíno e o hot-end, incluindo as partes de madeira. 

Recomendo fortemente o livro para entusiastas, construam suas impressoras ou não. Pelo livro se desconstrói toda a impressora, e todo o processo, permitindo aprender inclusive, como hackear, modificar e criar novos materiais. 

4/24/2014

Imprimindo Casas

22 de Abril de 2014, São Paulo - Capital, cidade maravilhosa, avenida Paulista apinhada de pessoas de várias tribos, engravatados, punks, modernosos, políticos, negociadores, nerds, policiais, imigrantes, enfim, mas o que todas essas pessoas de estilos diferentes compartilham nessa essa cidade? O preço para se viver nela é claro.

Um apartamento de 65m2 do lado de avenidas barulhentas, com pouca segurança custa em torno de R$180 mil reais, e dependendo de qual bairro o preço pode ser mais alto ainda, acabo de ver o anúncio, 141m2 por R$1.4500.000,00. Mas, não tema, o mundo das impressoras irá nos ajudar a ter a nossa casa sem muito esforço.

Apresentando novamente aos leitores da Impresso3D as impressoras de casas. Sim, fantástico não? Quer saber o que mais tem de fantástico?



Elas podem produzir casas de aproximadamente 75m2, ou até mais, é só esperar que teremos maiores.
Elas produzem casas em menos de um dia, algumas delas 10 casas em apenas um único dia.
Podem utilizar boa parte de material reciclado, e o custo para produzir uma casa é extremamente mais baixo, em média casas como estas podem custar U$5.000,00.


Recentemente uma empresa chinesa chamada Winsun  resolveu criar uma dessas impressoras de casas que ajudariam na erradicação da pobreza, pessoas poderiam ter casas por um custo baixíssimo, e em pouquíssimo tempo.
Aqui embaixo exemplos dessas casas, elas são praticamente um cômodo apenas, tem um tamanho longitudinal maior que pode chegar até 150m, com uma largura de aproximadamente de 10m, mas que serviria de um ótimo abrigo.





Confesso, ficaram muito bonitinhas, eu poderia muito bem morar em uma dessas, com certeza os decoradores de interior vão ter muitas idéias de como deixar uma dessas casas bem aconchegantes.

Segue um vídeo sobre a Winsun na China:
E outro vídeo do professor e diretor Behrokh Khoshnevis da University of Southern California (USC), em seu programa de graduação criou uma impressora 3D com o mesmo intuito, dar um lar a pessoas pobres:





Fontes:
WinSun
www.yhbm.com

Tedx
http://tedxtalks.ted.com/video/TEDxOjai-Behrokh-Khoshnevis-Con






4/23/2014

O que foi a Inside 3D Printing


Uma das notícia mais bombásticas do evento Inside 3D Printing, logo na abertura do mesmo, na primeira palestra de Michele Marchesan, foi a da compra da Robtec, revendedora 3DSystems no Brasil, Argentina, Uruguai e Chile, pela própria 3DSystems, que passará a atuar diretamente nesses países e também no Peru e México.

Essa notícia corrobora a "sensação" de que o mercado de impressoras 3D no país está crescendo muito, não por acaso agora as duas maiores empresas de impressoras 3D do mundo têm atuação direta no Brasil, ainda que com estratégias diferentes. Isso sem mencionar o grande número de empresas de impressoras 3D brasileiras que também vêm surgindo e crescendo, empresas que já transformaram a PlastShow de 2014 no PrintingShow, também marcaram presença no setor de exposições do congresso Inside 3D Printing.
Com a aquisição as expectativas são de uma expansão no mercado de impressoras domésticas Cubify, atuação mais intensa no mercado de venda de impressoras e uma diminuição na prestação de serviços com as impressoras, abrindo espaços para novos bureaus atuarem, com mais tecnologias. Mas esta é a expectativa deste blog apenas, e pode estar errada.

Mas essa não foi a única novidade do evento. A Materialize também estava presente na feira como uma revenda dedicada à linha de produtos Makerbot, impressoras domésticas do grupo Stratasys, acirrando essa batalha pela pessoa física e deixando claro um novo posicionamento do mercado. Além das empresas, as pessoas já estão levando para casa impressoras. Cliever, 3D Cloner, Metamáquina, UP! 3D Brasil, Mash and MAKE, entre tantas e tantas outras empresas que atuam no Brasil ou ainda mais, são brasileiras!

A Argentina também tinha uma desenvolvedora presente no Inside 3D Printing, buscando revendedores no país, a Kikai, com impressoras que podem até parecer uma impressora FOSS comum, parecida com as RepRap e Makerbots, não fosse sua ideia tão simples e tão inovadora de acrescentar cores às impressões, através de marcadores, que ficam fixados no cabeçote de impressão e que vão aplicando cores às peças, conforme a impressão vai sendo levantada. Incrível como uma ideia tão simples não foi pensada antes!

Seja como for, a competição sempre trás vantagens à uma única pessoa, que realmente pode colher frutos deste duelo de gigantes acontecendo no país: o consumidor. Seja ele pessoa física ou jurídica, sejam máquinas domésticas, profissionais ou de manufatura aditiva, o país nunca teve tantas opções e tantos players dos quais escolher qual tecnologia comprar.


E claro que também pudemos tietar tantos palestrantes famosos, presentes num só lugar... Que evento! Que evento! E que venham outros tais como esse.

FOSS & Novos Materiais - Apresentação do Inside 3D Printing



Essa foi a apresentação que realizei no evento Inside 3D Printing, realizado no World Trade Center de São Paulo, no dia 16 de abril de 2014. Sei que a apresentação não funciona muito bem sem o discurso que a acompanha, isso se deve à minha determinação em deixar a apresentação enxuta e simples de ser visualizada, sem ser poluída ou carregada. Prós e contras, sempre.

Nessa apresentação passamos por todas as tecnologias de impressão 3D chamadas de "proprietárias" ou "comerciais" e então desconstruimos seus princípios de funcionamento para entender como acrescentar novos materiais aos seus processos de impressão. A apresentação termina com uma olhada naquilo que já foi desenvolvido ao redor do mundo referente a esses novos materiais, tais como Fibra de Carbono, Chocolate, Cimento, Grama, Sinterização de Areia por luz solar, entre tantos outros usos.

Meu muito obrigado à todos que estiveram presentes, eu realmente esperava um público menor, e nem sonhava com a recepção tão acalorada que a apresentação obteve. Meu especial obrigado àqueles que ficaram para conversar um pouco mais sobre esse tema no dia 17 de abril. Foi um momento muito importante poder não apenas compartilhar o que sei sobre o tema, como também ouvir tantas versões e desafios sobre novos materiais, novos cases, novos desafios. Espero com o tempo, que cada um destes desafios sejam "Insight Generations", necessidades que atendidas geram novas impressoras, novos processo e novos materiais, fechando um ciclo.

Obrigado também à Ianina Zubowicz, pela cobertura de mídia e presença no evento. Ao Caravante, pelo suporte, ainda que a distância. Ao Bene Padovani, pelo convite e pela recepção tão calorosa na chegada ao evento. À Camila pela luta para fazer a apresentação funcionar fora do Mac e no PC do evento. À Joelma, por tão gentilmente me indicar à Letícia da Rede Globo. E a cada um de vocês leitores. Obrigado.

4/09/2014

Usos malucos das impressoras 3D

Às vezes aquela máxima: "Tudo posso, nem tudo devo", se faz valer. Quando observamos alguns dos usos insanos das impressoras 3D, temos essa forma de certeza.

1 - Barbie medieval:
http://impressao3dprinter.com.br/blog/2014/03/armadura-da-barbie-e-feita-em-impressora-3d/

Um dos usos malucos é de Jim Rodda, que estava decidido a mudar a cabeça de sua sobrinha sobre as mulheres serem princesas delicadas, e foi ao Kickstarter financiar seu projeto, um conjunto de arquivos em 3D para serem impressos, e que transformam as bonecas Barbies em guerreiras medievais, ou melhor, princesas guerreiras. O uso maluco não termina aí. Ele também já avisa no Kickstarter que se seu projeto for financiado, ele já tem os arquivos para converter a Barbie em Atena, será a mesma dos Cavaleiros do Zodíaco? Seja como for, se você concordar com ele, pode ir ao kickstarter e financiar o projeto. Jim Rodda não está afiliado à Mattel de nenhuma forma, e assim ele também se torna outro exemplo, o do que vamos fazer com relação à licenças no futuro?

2 - Selfies é coisa do passado:
http://m.estadao.com.br/noticias/economia-geral,o-selfie-ja-era-vem-ai-a-escultura-pessoal-com-impressora-3d,179771,0.htm


Mal virou comoção na internet o super retwite que a selfie do Oscar rendeu, e a brincadeira já é coisa do passado, ao menos na Alemanha, onde a nova onda é fazer uma Selfie em 3D, através de estúdios que cobram de 400 reais à 4000 reais para produzir réplicas de seus próprios clientes.

3 - Impressão de chocolates e pizzas:


Um dos usos mais gostosos que alguém pode fazer da impressora 3D, imprimir comida, é claro. Se é possível imprimir cimento, cerâmica, grama, armaduras para bonecas, por que não chocolate? Uma empresa inglesa lançou o equipamento que está fazendo um sucesso imenso nas redes sociais, ao menos. Por quase 3000 libras (uns 15000 reais, sem considerar impostos e importação), esse é o preço para imprimir suas sobremesas na forma que você quiser, literalmente...

4/07/2014

Uma visão geral sobre impressoras 3D - ShapeWays

Fantástico vídeo fazendo uma visão geral sobre impressoras 3D e incríveis modelos impressos. A parte mais impressionante? O pai falando que cada vez que ele chega em casa, sua filha pergunta: você comprou esse ou fez esse? 

Esse é o futuro que queremos para todos! A habilidade de fazer, modificar, criar, o que quer que seja, em sua própria casa. 


3/31/2014

Orange County Choppers e sua poderosa Fortus 400mc

Não é sempre que uma empresa de fabricação recebe o seu próprio reality show. No entanto, é exatamente isso o que aconteceu com Orange County Choppers (OCC), uma empresa localizada em Orange County, New York, que constrói motos personalizadas (conhecidos como "choppers" no mundo das motocicletas).

A OCC é lendária para a construção de bicicletas em torno de um tema específico, um grande exemplo é a “Fire Bike” (Moto de Fogo), que foi construída em memória aos bombeiros de Nova Iorque que morreram no atentado do 9/11. Recentemente estive em Nova Iorque e pude ver ela bem de pertinho.


Um de seus últimos pedidos de uma bicicleta feita sob encomenda veio de um cliente na China, descrevendo que gostaria de montar uma chopper com um dragão embutido.


Enquanto o projeto inteiro foi certamente exigente, um elemento, a cabeça do dragão, foi especialmente desafiador. Foi particularmente importante para a equipe OCC que a cabeça do dragão expressasse emoção e raiva.
Isso exigia uma quantidade enorme de detalhes no design da cabeça do dragão. A fim de alcançar o necessário grau de detalhe, dentro de um orçamento e prazo curtos, os designers da OCC sentiram que tinham apenas uma escolha - impressão 3D da cabeça de dragão em seu Stratasys Fortus 400mc.
Tradicionalmente, as peças da motocicleta custom são feitas em máquinas CNC (Controle Numérico Computadorizado). No entanto, ao longo dos últimos anos, a Orange County Choppers tem vindo a produzir mais e mais peças feitas sob encomenda por impressão 3D.
A OCC diz que as peças impressas em 3D são tão fortes como algumas das peças de alumínio que eles utilizam. A vantagem entre a impressora 3D e o processo CNC é que nas impressoras um projeto que era pra ser muito desafiador deixa de ser tanto e vira apenas mais um projeto.
O designer sênior da OCC e o artista gráfico Jason Pohl resume tudo de forma muito clara: "As possibilidades com a impressora Stratasys Fortus são infinitas. Agora não há nada que impeça as nossas mentes criativas de criar as motos mais legais do mundo”.
Recentemente estou envolvido em um projeto muito parecido com a da OCC, porém com um parceiro deles aqui no Brasil no qual infelizmente ainda não posso revelar, mas a idéia é customizar choppers utilizando as impressoras 3D. Mal posso esperar para terminar o projeto  e revelar essas maravilhosas obras das impressoras 3D. =)


Referência blog da Stratasys:
http://blog.stratasys.com/2013/05/30/fortus-3d-printer-orange-county-choppers/





Contato

Formulário de contato

Nome

E-mail *

Mensagem *