Qual o papel da tecnologia na arte? É um novo capítulo ou um novo cinzel? Marcelo Pasqua nesse bate papo incrível com a produção da Wacom dá uma pista, na forma como o digital complementa suas criações tradicionais, mas também há pontos onde apenas por meio da tecnologia, a mesa digitalizadora, o scanner ou a impressora 3D se pode obter determinadores resultados.



Seja através da impressão de obras de arte, quadros tradicionais, através da técnica de Lithophanes, com espessuras e alturas, para ser táctil, e ao mesmo tempo, impresso em transparências, para ser indistinguível pela visão tradicional: não apenas brinda acessibilidade ao não vidente, como também dá uma amostra a quem vê, o que é não ver.



Ao longo do tempo, as ferramentas de arte se transformaram, novas tintas, das bases a óleo às vinílicas, dos pinceis de cauda de cavalo, a fibras desenhadas trama a trama para uma pincelada mais fluída. Mudar a ferramenta, agregar ferramentas, não muda a arte, afinal como li certa vez, é arte, sempre que mexer com você, assim simples.