Usinagem vs Impressão 3D


Manufatura subtrativa: para produzir um produto qualquer, uma máquina é programada para usinar, subtrair de um bloco, nosso produto final, e ela é capaz de produzir milhares de milhões de vezes o mesmo produto sempre, com eventuais paradas para afiar uma ferramenta ou calibrar algo, mas em termos gerais, os chamados CNC’s (Comandos Numéricos Computadorizados), são equipamentos impressionantes em produzir formas complexas com velocidade e precisão.

Agora, estas máquinas tem dois pequenos inconvenientes: são obscenamente caras, e demoram um pouco para programá-las, afinal, não basta informar a instrução de movimento da ferramenta de corte ou dobra ou furo, o que seja, mas deve-se dizer onde esta ferramenta está no magazine, qual o tamanho da peça, como o bloco de onde sairá a peça ficará preso (para não usinarmos os fixadores do bloco por acidente, acreditem em mim, acontece). Trocando em miúdos, há todo um setup, uma preparação da máquina, para suas operações repetitivas ocorram depois, da melhor forma possível, e como mencionei, são máquinas caras. E os softwares que fazem essas simulações e programação, são ainda mais caros!

Mesmo peças plásticas, como as capinhas de celular, precisam ser injetadas, isto é, uma massa plástica aquecida é soprada com pressão em molde metálico, fechado com mais pressão ainda, para que quando o plástico esfriar, ele assuma a forma desse molde. Esses moldes custam em geral 15.000 a 500.000 reais, dependendo da precisão, se há gemotrias complexas ou não e qual a duração estimada do molde, por número de peças feitas, para definir quão nobre será o materal do molde, e quão preciso tem que ser o CNC para produzir esse molde.

Novamente falando da capinha de celular, um molde desses, para produzir 100.000 peças, pode custar uns 30.000 reais, o que dá um custo baixo por capinha, três reais só em deprecição do molde (ainda que se pagar o designer da capinha, o programador que usinou o molde no CNC, a matéria prima plástica que vai virar capinha de celular, lucros, impostos e uma logística maluca para distribuir essas capinhas da fábrica à todos os quisoques de capinhas de celular conhecidas pelo homem. (https://www.youtube.com/watch?v=ocafbexzbCU)

Agora, e se você não quiser fazer 100.000 capinhas iguais, mas sim, uma? Ou duas, ou dez? É onde a impressora 3D passou a brilhar, por ocupar um lugar que não havia meios produtivos para se fazer. Uma peça única, um artesão faz, cem mil, um milhão de peças, um CNC faz, mas 100? Só por intermédio da impressora 3D é que se tornou possível. E o melhor, quanto mais personalizado e único for ítem, melhor! (https://www.youtube.com/watch?v=bBsys2ReKHM) ou (https://www.youtube.com/watch?v=67cev_zcXJw recomendo velocidade x2).

Proporcionalmente, uma capinha de celular impressa será muito mais cara que uma injeta, sempre. Podemos dizer que ela custaria 30, e não 3 dinheiros, como a injetada. Mas o custo para produzí-la e o número de intermediários entre a capinha e o cliente, é infinitamente menor também. Se o cliente for você mesmo então? Há zero pessoas ganhando dinheiro através da sua aquisição (bom, verdade seja dita, o fabricante da impressora 3D e o fornecedor de matéria prima ganharam dinheiro).

Comentários

Postagens mais visitadas deste blog

Converter JPG para STL grátis

5 erros a se evitar prestando serviços de impressão 3D

Tutorial sobre G-Code - parte 1