5 dicas para fazer a impressão 3D mais barata

Este é um artigo original do site iMaterialise, desenvolvedor dos softwares Magics e Mimics, e da Mamoth 3D Printer, uma das maiores do mundo. O site é também um dos hubs de compras de serviços de impressão 3D do mundo.

Lembrando que a LWT Sistemas é uma representante da empresa Belga aqui no Brasil.




Truque número 1: comparar os materiais das impressões 3D

Cada material tem seu preço. Por isso que comparar preços e materiais similares faz sentido. Por exemplo, você pode estar procurando imprimir uma peça barata de plástico, ou pode estar precisando de uma peça de ouro que realmente só custará uma fração de uma peça feita em ouro, mas não impressa. Se você não tem certeza de que material busca, comece comparando os preços e então vendo as especificações dos materiais.

- Visite a página do material e compare diferentes materiais pelas suas características próprias e do processo de impressão utilizado.

- Faça um upload do arquivo num site de compra de impressões 3D (link no texto), e veja a diferença de preços em mais de 100 diferentes materiais.

Truque número 2: brinque com a escala para ver os diferentes preços

A escala quando se fala de 3 dimensões tem um impacto violento no custo final. Para se ter uma ideia, basta dizer que a metade de um cubo de 10x10x10 é um cubo de 5x5x5, parece óbvio, mas isso é um quarto do tamanho original do cubo.

Em três dimensões o impacto da escala é exponencial no custo total.

Truque número 3: use um misto de peças impressas e não impressas

Esse é outro bom truque. O número de peças que eu recebo com parafusos, hastes, porcas, e o sujeito pede "cota tudo nessa pasta zip", e depois reclama do preço. Saibam utilizar peças e reusar peças para aliar ao seu projeto impresso. A impressora 3D ainda não é instantânea, e o seu custo hora ainda é alto. Assim que é importante saber prever esse custos e manipular eles ao escolher as peças certas.

Truque número 4: entenda a composição de preços

Não raro, uma peça pequena sai mais cara que uma peça grande. Não é impacto do tamanho apenas que define a peça, mas quanto suporte é utilizado. utilizar suporte em algumas tecnologias, como FDM, reduzem a velocidade da impressão, pois a impressora tem que trocar de bico, limpar o bico, purgar, e produzir, uma, duas camadas no suporte, e repetir o processo, mantendo as camadas de peça e suporte parelhas.

Compreender o processo te ajuda a entender que produzir uma peça oca é às vezes mais barato que produzir uma peça com um shell vazio embaixo. Imaginem uma dock para celular, por exemplo:



Produzí-lo oco não há troca de materiais, apenas uma colmeia interna feita do material da própria peça. Produzir esse molde só com a casca superior e uma parede de digamos, dois milímetros, levaria muito mais tempo, ainda que aparentemente usasse menos material...

Truque 5: desconto em quantidades

Certas máquinas como as PolyJet podem produzir uma, ou múltiplas peças a praticamente o mesmo preço, pois a máquina leva o mesmo tempo para fazer uma pecinha no canto da bandeja, ou uma fileira dessas pecinhas ao longo de toda a bandeja, visto que seu cabeçote sempre se move sobre toda a bandeja para imprimir, não importa quantas peças.

De acordo com isso, por vezes, produzir múltiplas peças numa tecnologia aparentemente mais cara, pode sair bem mais barato que várias peças feitas em FDM, teóricamente mais barata.

Comentários

Postagens mais visitadas deste blog

Converter JPG para STL grátis

5 erros a se evitar prestando serviços de impressão 3D

Tutorial sobre G-Code - parte 1