5 erros a se evitar prestando serviços de impressão 3D


Quando for prestar serviços de impressão 3D, ou comprar serviços de impressão 3D, há algumas coisas que devemos ter em mente para garantir a máxima satisfação com a peça. Aqui elencamos algumas:

1 - Tenha em mente o material desejado:
Materiais podem ser quebradiços ou rígidos, duros ou dúcteis, elastoméricos e flexíveis, transparentes e opacos. Sólidos massivos ou ocos, com uma trama interna. Sempre tenha em mente a aplicação que a peça terá, e o tempo de duração da peça. Materiais fotossensível perdem suas propriedades com o tempo, materiais de termoplásticos tendem a perder a cor e elasticidade se expostos ao sol e luz UV, impressões em resinas líquidas não podem ter construções ocas, sendo sempre sólidas.

2 - Ignorar a tecnologia utilizada
Existem materiais podem ser obtidos em mais de uma tecnologia, por exemplo ABS, ABS-like, Digital ABS, são materiais possíveis de serem obtidos através de FDM/FFF, SLA e PolyJet, por outro lado, Ouro, Alumínio e Titânio são possíveis apenas por SLS/SLM. Além disso, esses processos de impressão também não produzem as peças exatamente iguais aos processos convencionais. Processos FFF não são isotrópicos. Titânio impressos em 3D é sempre sinterizado, e não fundido, resultando numa peça extremamente dúctil.

3 - Ignorar a geometria
Por vezes será melhor você produzir uma peça impressão que precise de usinagem depois, a ter que produzir uma peça com paredes e furos menores que a capacidade da impressora fazer bem feito. Se você ainda é responsável pelo desejo e pela impressão, é sua chance de tornar todo o processo ainda mais amigável. Tenha em mente que impressoras por FFF produzem paredes mínimas de 1,2mm, para terem resistência. PolyJet produz paredes de até 0,6mm de espessura. Abaixo disso, considere usinar e imprimir uma parede mais grossa.

4 - Atenção à resolução do STL
Outro erro muito comum é não observar a resolução do STL. A impressão é no máximo tão boa quanto seu arquivo STL é. Não por acaso a Stratasys tem deixado esse formato de lado. Por vezes é difícil ao bureau de serviços, sem o contexto e aplicação da peça, saber a se o arquivo esta bem feito, se é daquele jeito mesmo, ou se está com baixa resolução de triângulos. Quem recebe o arquivo não gosta e quem fez não vai querer fazer de novo, evidentemente.

5 - Ignorar o conhecimento no software
Diferentes softwares possuem diferentes resultados. Parece óbvio, mas não é. Projetistas foram do cenário metal-mecânico tendem a pensar em diferentes escalas dos milímetros. Designers de relógios utilizam microns. Projetistas civil utilizam centímetros. O arquivo STL é adimensional, logo é difícil prever se a escala está correta. Outra coisa, diferentes softwares geram arquivos 3D e têm diferentes focos nos resultados. Blender gera bons 3D para games e animações, mas é relativamente complexo obter um bom STL. Maia, zBrusch, a mesma coisa. Tenham atenção a esses detalhes!

Arquivo traduzido/adaptado do original, em inglês, da Materialise: https://i.materialise.com/blog/5-mistakes-to-avoid-when-designing-a-3d-model-for-3d-printing/?utm_source=facebook&utm_medium=cpc&utm_campaign=Facebook_Rem_Lab

Comentários

Postagens mais visitadas deste blog

Converter JPG para STL grátis

Tutorial sobre G-Code - parte 1