Resenha: Revista Impressoras 3D nas bancas



Chegou às bancas a revista número 4 da série Negócio Especial da editora Online, chamada de Impressoras 3D! Se você é do tipo que gosta de ver presságios em tudo, acho correto afirmar que esta é mais uma das cornetas do apocalipse, no bom sentido!

Depois do upgrade do Windows 10 chamado de Creators Upgrade, focado em 3D, com scanner e Paint Brush com edição 3D (e de STL), agora um título dedicado na banca é outro bom indício da popularização do tema e de sua aproximação inexorável ao usuário comum, cada vez mais rápida.

Quanto à revista em sí, ela é boa. Se você já é um usuário regular de impressão 3D, há pouco de novo, a própria revista se divide em 10 capítulos, como um livro em formato de revista, baseados em "1 O que é impressão 3D", "Impressora 3D, a terceira revolução industrial", "histórico da tecnologia", "aplicações", e assim por diante. Bons textos, mas nenhum deles assinados, a única menção de contato é a assinatura do editor, que assina "Os editores", e um email genérico.

Se você já é usuário de impressão 3D, contudo, não espere nada de novo, inovador, ou bons info-gráficos. Não há nenhum. Ótimas fotos, bem escolhidas (ainda que ausentes de créditos), mas são, em geral, fotos de internet.

O capítulo que particularmente me fez comprar a revista e me desanimou, foi o do "mercado brasileiro", eu próprio já tentei conduzir aqui no blog uma enquete entre fabricantes e revendas, e tive pouca resposta, e a revista não foi diferente. Excelente texto sobre o mercado, focado na trajetória da Cliever e temperada pela história da Metamáquina, mas é só. MoviTech e Poligon FabLab também foram citados. Não há números, nem dados.

Talvez por ser um usuário há tempos, talvez por esperar há tanto tempo bons títulos de tecnologia nas bancas, órfão da INFO, Macmania, MacMais, Ubuntu Linux, Linux Magazine, eu depositei talvez muitas esperanças no título e me frustrei um pouco.

Não há menção ao filme "Printing the Legend", no Netflix, aliás a MakerBot mal é citada. Não ensina ao leigo as diferenças entre materiais e processos, não dá dicas de formas de comparar as impressoras para ajudar um leigo a iniciar na sua compra (tamanho de mesa, materiais possíveis, softwares que acompanham), e mal mencionam scanners 3D e softwares CAD, um passo fundamental para a impressora ter matéria prima para imprimir.

Falando em softwares, só a Simplify foi citada, nenhum App mobile foi apontado, e o ranking de impressoras e preços apresentado tem ausências tristes no mercado brasileiro (e não compara o que importa entre as impressoras, envelope de impressão, materiais e resolução de impressão).

Os poucos livros brasileiros do setor também não foram citados, Neri Volpato com seu livro "Prototipagem Rápida", nem a Cristiane Ulbrich com seu livro "Engenharia Integrada por computadores e sistemas", ou a empresa do Flávio Ulbrich, a UP3D, dentro da UNICAMP de Campinas.

Em resumo, como introdução ao tema, a revista ganha um 8,5, linda, bons textos, bons exemplos de impressão para um iniciante. Se você já é meio usuário de impressoras 3D, nota 3.

Comentários

Postagens mais visitadas deste blog

Converter JPG para STL grátis

5 erros a se evitar prestando serviços de impressão 3D

Tutorial sobre G-Code - parte 1