Impressão 3D - da ideia à realidade



A impressão 3D capacita pessoas a desenvolverem ideias, melhorarem projetos, validar conceitos em questão de horas, coisa que antes levaria dias, talvez meses. Nesse conceito, para o qual foi criada, a impressão 3D é chamada de Prototipagem Rápida.

Mas logo, a impressão 3D foi acrescida de scanner 3D, digitalização, e novos materiais, que permitem a produção de peças rígidas, duráveis, resistentes ao óleo, graxa, combustível, luz UV, temperaturas, permitindo a criação de peças finais, direto da impressora para seu uso e aplicação, e nesse conceito a impressão 3D é chamada de Manufatura Aditiva.

E por fim, a impressão 3D agrega repetibilidade, tolerância dimensional, precisão, que permite a impressora produzir dispositivos de metrologia, montagem, transporte, porta ferramentas, dispositivos de apoio a construção, e nesse universo, a impressão 3D é chamada de Inventário Digital.

Pela união destas capacidades, hoje a impressão 3D é o alicerce no qual se apoia a indústria 4.0, um conceito que pode levar a indústrias automatizadas, produzindo com as luzes apagadas, pois robôs e impressoras não precisam de luzes acesas, e a produção de mínimo custo de produtos altamente especializados. É o fim do mundo? Geração de desemprego em massa? Talvez...

A impressão 3D não capacita apenas às indústrias se modernizarem, as impressoras permitem que qualquer pessoa com uma ideia na cabeça seja sua própria indústria, a produção doméstica, em casa. Soma-se à isso, scanner, CAD's 3D cada vez melhores e mais baratos ou grátis, e placas programáveis para automação, seja Arduino ou Raspberry, e o que temos é a criação de produtos complexos, possíveis em cada lar, nas mãos de cada ser humano. É o fim das indústrias convencionais? Talvez...

Esses futuros são tão próximos ou tão distantes quanto desejarmos. As ferramentas já existem, estão disponíveis, impressão 3D, CAD, Arduino, Rasp, tudo já existe. Falta o conhecimento, para os dois lados. As indústrias são reticentes no investimento, as pessoas são reticentes no investimento. Mas o mundo, ah, o mundo não nos espera...

Claro que em mais cinco anos as impressoras 3D poderão estar mais baratas, mas por outro lado, quem esperar cinco anos pode encontrar um mercado já estabilizado, com máquinas pagas e amortizadas, e ainda terá que vencer a curva de aprendizagem, que seus concorrentes já terão dominado. Vale a pena o desconto pela espera? Depende de quanto você está disposto a investir...

Comentários

Postagens mais visitadas deste blog

Converter JPG para STL grátis

5 erros a se evitar prestando serviços de impressão 3D

Tutorial sobre G-Code - parte 1