A evolução do STL, o arquivo 3MF


Mesmo lendo muito sobre impressoras 3D, essa semana não deixei de me surpreender com um formato que eu não conhecia, o 3MF. Foi assim:

Após esbarrar num arquivo STL bastante ruim, faces invertidas e camadas faltantes, optei por utilizar o Netfabb online, hospedados pelos serviços Azure sob o nome de Model Repair. O sistema é automágico, onde você faz o upload do arquivo problema, e depois do reparo automático, faço o download do mesmo.

Mas desta vez as coisas não funcionaram tão bem. O arquivo "fixed" não abria de jeito nenhum no Catalyst. E aí me atentei o formato, 3MF... Então, vamos pesquisar o que significa esse formato.

E como vocês sabem, o STL é um arquivo antigo, datando das primeiras impressoras 3D, das quais herda o nome, a SLA, Stereolitographic Aparatus, impressora à laser da 3DSystems. Esse arquivo tem uma série de pequenos problemas, por lidar com aproximações derivacionais de triângulos para fazer tangências circulares, não carregar dados paramétricos, facilmente confundindo o projetista entre qual o tamanho certo da impressão, e não carrega cores, oficialmente.

Pois um consórcio de empresas, encabeçadas por Autodesk, Dassault Systèmes, PTC, Siemens, HP, Stratasys, Ultimaker, Microsoft, GE, FIT e tantas outras, a ideia é compor um novo formato mais rico, open-source, e mais moderno para a impressão 3D. O formato atente por 3D ManuFacturing, e é uma evolução do formato AMF - Additive Manufacture Fabrication, idealizado pela ASTM, que não teve sucesso.

Desta vez, com tantas grandes empresas por detras, parece que o formato tem tudo para decolar. PAra saber mais, acesse:

http://3mf.io/about-us/members/

http://www.rapidreadytech.com/2015/05/a-closer-look-at-3mf/

Comentários

Postagens mais visitadas deste blog

Converter JPG para STL grátis

5 erros a se evitar prestando serviços de impressão 3D

Tutorial sobre G-Code - parte 1