Você sabe o que é steam?


Não, não, não, STEAM não é a plataforma de jogos que se pode comprar games online, uma espécie de facebook de videogames. Tão pouco é uma abordagem de ficção científica baseada num mundo alternativo movido à vapor, como a era vitoriana de BioShock, ou o filme "As loucas aventuras de James West". Nesse caso aqui, STEAM é uma sigla para educação.

Para quem não sabe, STEAM significa Science Technology Engineer Art & Math, é uma nova metodologia de ensino e aprendizagem, baseada em aliar um conhecimento prático e teórico. Não necessariamente associado aos FabLABS, mas que já tem sido utilizado em conjunto com ele, por diversas iniciativas que buscam educar ou ensinar as pessoas a aprender.

Um exemplo é o trabalho desenvolvido pela Heloisa Neves em diversas empresas, onde os funcionários se juntam em times e desenvolvem soluções para reclamações comuns de seus clientes (internos e externos) num cenário onde eles pudessem, de fato, inferir em todas as etapas do desenvolvimento do produto. Imaginem uma empresa de cremes e produtos de beleza, onde todos os departamentos pudessem se envolver numa solução de embalagem melhor, levando em conta suas próprias opiniões e sugestões dos clientes coletadas através do setor de relacionamento.

Ou uma escola, onde os alunos possam desenvolver carrinhos de corrida, e pudessem atuar no projeto, conceito, impressão das peças, automação por arduino, desenvolvimento de interfaces por Raspiberry e integrar tudo num prótótipo funcional feito por eles?

Até mesmo bancos podem se beneficiar de ter tantos setores do saber envolvidos, pois aprender a aprender não te permite apenas fazer carrinhos e cancelas de estacionamento em escalas inúteis, mas te ensinam a ter uma visão externa, multi-disciplinar e solucionadora para questões do dia a dia, cuja rotina e estafa nos impediriam de ver de outra forma.

Nesse processo pode-ser aprender simultaneamente o desenvolvimento de um jogo de video-game, por exemplo, aprendendo a modelar em 3D o personagem, imprimí-lo em 3D, desenvolvem Aduino, o emulador em RaspBerry Py, cria a carcaça do arcade em impressora 3D novamente e se diverte, ou vende, ou doa.

Para conhecer mais do trabalho da Heloisa, e o que sua educação, seu FabLab e a aplicação do STEAM têm dado de frutos, veja seu site: http://wefab.cc/#/cubomaker/

Comentários

Postar um comentário

Obrigado por sua participação! Ela é combustível para o Blog!

Postagens mais visitadas deste blog

Converter JPG para STL grátis

5 erros a se evitar prestando serviços de impressão 3D

Tutorial sobre G-Code - parte 1