MakerBot Mini produzindo Minions


Quem se lembra do primeiro Smartphone? Aquele divisor de águas entre o SMS e o email? Para alguns, foi uma evolução natural dos PDA's (quem lembra da Palm e do Windows CE?). Para outros tardou mais. E começaram com aparelhos menores, mais baratos, com menor investimento e menor risco.

Dos Smartphones pequenos, muitos evoluíram, passaram para os top de linhas, outros fizeram disso um negócio, criando aplicativos, programando, vendendo consultorias sobre tema. Outros fizeram deles, ferramentas, email, agenda, contatos, GPS (santo GPS). De uma forma ou de outra, com exceção de desafio, aposta ou desejo de se desconectar, quem passou para o Smartphone, não volta para o telefone básico. Não facilmente.

A impressora 3D começa sua jornada em meio ao mercado de consumo. Ainda pressionada por ser importada na maioria das vezes, e com dólar como está. Não muito diferente de 2008, a crise mundial que explodia ao lado do lançamento, em 2007, do iPhone primeiro. E como aquele aparelho, hoje muitos paqueram essa tecnologia, sem saber se é bom ou ruim, mas com um desejo ao fundo, um pensamento, vale?

A resposta esta na metáfora. É possível viver sem smartphone? Possível até é, mas é tão mais prático com ele. Hoje quem desenha pode produzir na impressora pequenos reparos para casa. Pode criar pequenas experiências, um dock com seu nome para seu companheiro de bolso? Um suporte para comida do seu mascote? E pode sonhar, cada vez mais alto.

Quem não desenha, pode usar a biblioteca pronta, o www.thingiverse.com, um paraíso com mais de 1 milhão (voz do seu Silvio Santos) de coisas prontas para serem impressas. Quem não quer nada da biblioteca e não desenha, tem scanners 3D, desde aplicativos grátis para o Smartphone (olha ele aqui outra vez), a até versões pagas, das mais baratas às mais caras.

O preços das impressoras ainda pode demorar um pouco para baixar, como era impagável o iPhone no Brasil quando foi lançado, mas quem saltar na frente vai tirar proveito. Pode passar a viver disso, pode criar uma ferramenta fantástica de apoio.

Nas palavras de Douglas Adams: "Qualquer tecnologia que já existia no mundo quando você nasceu, é ordinária e enfadonha. Qualquer tecnologia que surja no mundo depois de sua "velhice", é contra as leis da natureza e nunca deveria ter sido criada. E qualquer tecnologia que surja na sua juventude, é fantástica, gloriosa, e você pode fazer dela uma carreira".

Adams não se refere à idades físicas, mas de espírito. Vamos fazer disso uma carreira?

http://www.lwtsistemas.com.br   http://www.thingiverse.com

Clique aqui se o vídeo não aparecer embedado: https://www.youtube.com/watch?v=kswe5rl7Hw8



Comentários

Postagens mais visitadas deste blog

Converter JPG para STL grátis

5 erros a se evitar prestando serviços de impressão 3D

Tutorial sobre G-Code - parte 1