Impressoras 3D ecológicas


Já falamos bastante por aqui sobrem a sinterização de areia ser, provavelmente, o processo mais ecológico de impressão 3D do mundo, visto que nada mais usa do que a luz do sol e a areia do deserto para produzir peças em vidro. Por outro lado, é uma impressora pouco prática para o cotidiano, e por isso, qual será a impressora mais ecológica do momento?

Bom, minhas apostas vão para duas famílias de produtos, e a primeira, é claro, é a FDM, da Stratasys. A tecnologia baseada na deposição de plástico aquecido ao ponto de plasma e depositado na forma de camadas permite não apenas produzir uma vasta imensidão de produtos, como também ela se baseia no que há de mais recicláveis dos plásticos, o ABS e o Policarbonato!

Não obstante isso, a tecnologia de suporte solúvel, baseada numa blenda, uma liga de plásticos orgânicos constituída sumamente de açúcares, fazem com que a remoção dos materiais de suporte e o descarte destes na natureza seja de impacto zero. Material ecológico, correto e que se dissolve na água.

Por fim, a máquina, de arquitetura simples mas elegante, não sobra em acessórios e nem em futilidades, tendo o necessário para funcionar, a máquina demanda pouca manutenção, tem poucas partes que podem falhar ou quebrar e por consequência, baixa manutenção, baixas peças sobrando na natureza.


Comentários

Postagens mais visitadas deste blog

Converter JPG para STL grátis

5 erros a se evitar prestando serviços de impressão 3D

Tutorial sobre G-Code - parte 1