Na última oportunidade que tive de falar nos encontros da ABM (Associação Brasileira de Metalurgia, Materiais e Mineração), falei sobre impressoras 3D, e sobre os avanços no setor. Dentre os mais notáveis, estava a impressão de órgãos com impressoras 3D.

Não é um sonho impossível, já estes órgãos, principalmente os estéticos, só constituidos de um gel orgânico, para que seja aceitos no corpo. Modela-los com impressoras 3D apenas abre um novo mundo de oportunidades, de fazer órgãos que sejam personalizados, que possam ser réplicas, obtidas por scanner 3D, de membros do próprio indivíduo, tornando os implantes, ainda mais naturais.

Num artigo do site Inovação Tecnologica, celebra-se justamente este fato. Segundo o artigo, Alyssa Reiffel e seus colegas pesquisadores da Universidade de Cornell, Estados Unidos, conseguiram através da impressão 3D obter "a orelha artificial que se parece e se comporta como a orelha natural". O orgão foi fabricado com impressora 3D e um gel formado de células vivas, que ao longo de 3 meses, substituíram todo o colageno usado para modela-la, formando cartilagem.

O processo ainda destaca-se por sua agilidade, não apenas pela precisão. Segundo o site ainda, "É preciso metade de um dia para desenhar o molde, um ou dois dias para imprimi-lo, 30 minutos para injetar o gel e pode-se remover a orelha 15 minutos mais tarde. Nós cortamos a orelha e a deixamos em meio a cultura com nutrição por vários dias, antes que possa ser implantado", nas palavras de Lawrence Bonassar.

Esta é uma notícia que sem dúvida teria alegrado Van Gogh...

Para ver a notícia original: http://www.inovacaotecnologica.com.br/noticias/noticia.php?artigo=orelha-artificial&id=010160130222&ebol=sim