A prototipagem convencional está corretamente associada à arte. Cada modelo realizado tem sua qualidade diretamente derivada da qualidade do modelador, um artista, como da mesma forma, é muito difícil obter duas reproduções idênticas, ainda que esta tenha sido a técnica realizada por anos e ainda é praticada não só no Brasil, mas no mundo. Com o advento da Prototipagem Rápida, este processo também passou a ser conhecido como Prototipagem Lenta.

A principal vantagem deste método está no baixo custo em implementos, não há máquina envolvida, o trabalho não está sujeito à precisão de um software, justamente por ser totalmente artesanal. Outras vantagens são: a liberdade completa de formas e complexidade geométricas, enfim, liberdade para a criação.

Os materiais possíveis para a prototipagem convencional são: argila (chamada de Clay neste meio), Isopor, madeira e todos os materiais passíveis de serem modelados ou esculpidos.

Suas principais desvantagens, como já citado, são: demanda semanas ou meses, de acordo com a complexidade da geometria; dificuldade em obter superfícies complexas e a qualidade da fabricação depende da habilidade do modelador.

Leia também: