8/18/2017


NÃO. Essa é a resposta. E definitivamente, não. Estive observando algumas características das impressoras mais baratas disponíveis no mercado brasileiro não pude deixar de notar alguns pontos fortes comuns da maioria delas.

Quando falamos de impressoras 3D de baixo custo, no Brasil, na verdade não estamos falando exatamente de impressoras baratas, mas sim nos referindo às menos caras do marcado. E digo isso porque os menores preços encontrados para impressoras 3D em terras tupiniquins beiram os 2 mil reais, e são modelos custam entre 200 e 300 dólares nas terras do tio Sam. Algumas ultrapassando a casa do 4 mil reais.

Os preços são diversos, mas uma característica é unânime: todas elas derivam de um mesmo projeto, com origem no movimento RepRap, e são, inclusive, muito parecidas fisicamente.

Observando alguns detalhes de construção e funcionamento, um ponto em especial me chamou a atenção: a maioria é do tipo “cartesianas”, com frames em MDF ou acrílico, cuja mesa avança e retrai, para frente e para trás, sempre no mesmo plano XY, enquanto o extrusor trabalha lateralmente, para a direita e para a esquerda, e também sobe no eixo Z conforme a peça impressa cresce na direção de Z.

Uma das principais vantagens deste sistema é que o plano XY em que a mesa trabalha fica a uma distância relativamente pequena da superfície onde a impressora está apoiada, e isto resulta em menos vibração com relação aos modelos cuja mesa começa lá em cima e vem descendo conforme a peça “cresce”.

Mesmo com a vibração da mesa que se movimenta para frente e para trás, esta característica é uma vantagem, e a explicação tem base nas leis da física: quanto maior é a distância entre a mesa (da física, braço), maior é a amplitude do movimento ou vibração que a impressora faz (força física conhecida como momento).

Mas aqui cabe bem duas ressalvas: para garantir que esta vantagem seja, de fato, uma vantagem (1) a superfície em que a impressora está apoiada deve ser estável, tal como uma mesa ou bancada com 4 pernas fixas e firmes, uma bancada de alvenaria ou concreto, ou qualquer outra superfície que seja estável o suficiente para não ser balançada com as mãos, e (2) os eixos da impressora devem estar devidamente limpos e lubrificados com uma pequena quantidade de “óleo de máquina” ou qualquer outro lubrificante para partes móveis recomendado pelo fabricante.

Fora isto, um outro fator confere vantagem para as impressoras de menor custo: elas utilizam, em geral, o sistema “direct drive”, em que o “motorzinho”que puxa e empurra o filamento fica instalado logo acima do extrusor. Tal fato é vantagem com relação ao sistema “bowden”, que é aquele em que o motorzinho fica atrás da impressora, e conduz o filamento através de um “tubinho” de material antiaderente, seja ele teflon ou qualquer outro. Esta vantagem consiste no fato de que a precisão do movimento de retração da impressora é maior quanto mais perto o stepper (motorzinho) fica do extrusor, resultando em menos “blobs”e “cabelinhos” na impressão. Além do mais, o “direct driver” oferece uma facilidade muito maior ao se trabalhar com filamentos flexíveis, que pode se tornar uma tarefa impossível em uma impressora com sistema “bowden”, dependendo da composição do filamento flexível.

Como é de se esperar, o “direct driver” apresenta também desvantagens, sendo a principal delas o fato de agregar mais peso ao “cabeçote” da impressora 3D, tornando-a naturalmente mais lenta que as impressoras com “bowden”. No entanto, o assunto central aqui é a qualidade das impressões, ficando a velocidade de impressão em segundo plano conforme esta abordagem.

É claro que, apesar das vantagens e desvantagens de cada tipo de impressora, o mandatório para garantir uma impressão “lisa” e de qualidade vai além da construção da impressora, ou do fato se a mesa de impressão desce, anda para frente e para trás, se o motorzinho fica no cabeçote ou atrás. O fator crucial para obter uma ótima impressão é o conjunto de configurações entre velocidade de impressão, altura da camada, velocidade e distância da retração, ausência ou presença do cooler, bem como sua velocidade de trabalho, entre outros fatores.

Dado que cada impressora, materiais e lotes de filamento são diferentes, o melhor caminho para chegar em uma ótima impressão é a experimentação, a tentativa e o erro, as trocas de experiências e as visitas ao caderninho de anotações. Em suma, obter uma impressora de qualidade tem mais a ver com a perspicácia do impressora que com o preço da impressora.

Por Luiz Henrique Okusu

Print Factory

Jaú/SP (envio para o Brasil todo)
Seth 3D & Mousta
14 3814-7199
m.facebook.com/printfacturing

Posted on sexta-feira, agosto 18, 2017 by Emanuel Campos

No comments

8/17/2017

Bom, na essência de provar que a Terça com Especialistas do Anderson Godoy tem sido incrivel, e eu fui a banda de abertura, hehehe, agora o convidado e o Cláudio Sampaio, você deve conhcê-lo como Patola, a quem cito na minha própria palestra sobre materiais.

Patola é um dos especialistas sobre impressoras 3D open source e um grande entusiasta da comunidade, e enquanto eu me considero teórico, ele é muito prático, empírico, experimentador, uma assumidade no mercado.

quem quiser saber mais, ou participar: http://escoladeimpressao3d.com.br/tercas-com-especialista/

Posted on quinta-feira, agosto 17, 2017 by Emanuel Campos

No comments



Essas órteses AFO ou goteira é para uma menina de dez anos de idade que não anda, ela vai utilizar a órtese para alongar os músculos para não encurtar e para posicionar os pés dela, ambos são virados para a parte interna da perna e a órtese vai ajudar no posicionamento de ambos.

A DS Impressão 3D foi criada com o intuito exclusivamente para atender a pessoas que possuem algum tipo de necessidade especial fornecendo produtos personalizados ou seja, o produto será de uso exclusivo do paciente e claro dar uma melhor condição de vida ao paciente e em alguns trazendo mais independência ao mesmo.

Contamos com o apoio de médicos e de uma terapeuta ocupacional que trabalha diretamente conosco e eu fico mais na parte comercial e encarregado de desenvolver os produtos para os pacientes.

Com a tecnologia 3D podemos fornecer produtos personalizados, leves e de boa qualidade que irão atender as necessidades dessas pessoas que necessitam desde uma tala ou até mesmo uma órtese de membro superior ou inferior.

Voltando a menina, ela fala normalmente, movimenta os braços e tem sequela de lesão medular.


Posted on quinta-feira, agosto 17, 2017 by Emanuel Campos

No comments

8/16/2017

www.fabrica3d.co

A Fábrica 3D é uma empresa situada em Santa Rita do Sapucaí-MG, o Vale da Eletrônica. Há mais de dois anos no mercado, realiza serviços de impressão 3D, atendendo encomendas de pessoas físicas e empresas de todo o território nacional. www.fabrica3d.co

A empresa atende os perfis de clientes como colecionadores de personagens de filme e games, pessoas que precisam de pequenas lembranças para eventos, empresários que precisam de serviço de prototipagem rápida.

Os pedidos são recebidos pelos nossos canais de contato como telefone, e-mail e redes sociais. O cliente pode enviar um arquivo (modelado em 3D) e nós realizamos o orçamento da impressão. São realizadas impressões de infinitos tipos de objetos, utilizando tecnologia desenvolvida pela própria empresa.

A Fábrica 3D tem como objetivo resolver o problema do cliente, que precisa de um serviço rápido e de boa qualidade.


Posted on quarta-feira, agosto 16, 2017 by Emanuel Campos

No comments

8/15/2017


Tenho atualmente 2 movtech cubica. Bom, trabalhei até 2011 na engenharia de uma empresa que já consumia serviço de impressão 3D para validar a montagem e design dos produtos desde 2008.Era caríssimo produzir um protótipo na época.

Até então eu imaginava que a impressora 3D era uma maquina de outro mundo gigantesca totalmente fora da minha realidade ter uma em casa. Até que em 2012 a revista Info publicou uma matéria sobre as RepRaps juntamente do contato do pessoal que estava iniciando com isto aqui e tão logo quanto imediatamente entrei em contato e já entrei no forum, participei dos encontros REPRAP e em 2013 montei minha prussinha. Eu vinha mais usando a impressora para imprimir coisas imuteis do Thingiverse e as vezes fazendo caixas para meus projetos eletrônicos e peças para empresa em que eu trabalhava. 

Em 2015 eu e minha esposa fomos demitidos por cortes na empresa. Com pouquíssimos recursos coloquei um anuncio na internet e comecei a fazer impressões para fora com a Prussinha, mas logo começaram os problemas, pois ela perdia a calibração com frequência, o circuito eletrônico falhava de tempos em tempos, o fato de não ser carenada empenava peças grandes e quase arranquei os cabelos tentando estabilizar ela para ser produtiva e ela vivia atrasando a entrega dos pedidos.

Então comprei uma cubica da Movtech e a maior parte dos meus problemas acabaram.A maquina é muito estável, a área de impressão é maior, ela não perde a calibração, mas o único defeito é que não ia bem com PLA. Fiz algumas modificações na extrusora e aí ficou redondo! Imprimo com qualquer material sem dor de cabeça e quando enrosca levo na Movtech e eles consertam a impressora com muita agilidade ou me arrumam outro equipamento para não ficar parado. Mas é raro necessitar do suporte deles. Recomendo muito o trabalho da Movtech.

E depois disso passei a procurar empresas para oferecer o serviço, e graças a venda consultiva, capricho na impressão e o bom atendimento, quem compra  sempre indica e volta a pedir mais impressões!

Não vou dizer que este negócio dá rios de dinheiro, porque tem muita gente fazendo o mesmo que eu, inclusive na mesma situação de buscar esta oportunidade por estar desempregado, mas consigo viver deste negócio e quando se gosta do que faz as coisas fluem bem !

Saiba mais sobre nosso trabalho em nossa página no facebook.
Visite nosso site : http://www.montaprototipo.com.br

Posted on terça-feira, agosto 15, 2017 by Emanuel Campos

No comments

8/14/2017

Não vou mentir, demorei, atrasei, me compliquei. Em parte estou em disputa com a UOL, pelo email de *$#$)# que me oferecem como parte da hospedagem, que qualquer link, eles já acham que eu estou tentando mandar email marketing, e o bloqueiam. Em outra parte, eles são super "cuidadosos" com o seu email, e qualquer coisa que você receba, que não esteja na lista de contatos, vai para o SPAM.

Já estou buscando novo provedor.

Mas o fato é que eu recebi alguns novos parceiros para nossa "lista telefônica"da impressão 3D e eu gostaria de divulgar aqui, para vocês, com exclusividade pelo tempo que levou:


TreeDee Impressões 3D e Prototipagem
Meu nome: Carlos Eduardo de Santana Marques Telefone para contato: (18) 99733-8343 Facebook: /treedee3d Instagram: @treedee3d 
E-mail: contato@treedee.com.br
 Site: www.treedee.com.br Cidade: Assis – SP Máquina que possuo: Graber i3





Me chamo Rafael e faço parte da equipe da Blu 3D, design e impressão 3D. Nossos equipamentos são, Form 1+ (SLA), Vooltd 3D (200 x 200 x 180) e Graber acm ( 200 x 200 x 180). Nosso contato é 54 98100-6352, contato@blu3ddesign.com e site blu3ddesign.com. Atendemos todo o Rio Grande do Sul.




Posted on segunda-feira, agosto 14, 2017 by Emanuel Campos

No comments

8/11/2017


Clique para saber mais!
Tive a honra e o privilégio de ser um convidado para uma "terça com especialistas" da Escola de impressão 3D, com Anderson Godoy, e tive uma honra ainda maior de ser convidado pelo próprio para ser divulgador de seus trabalhos e de seu curso.

Ele realiza um trabalho brilhante no ensino de impressão 3D, pois seu interesse vai além de ensinar o público a montar impressoras 3D, ou de vender o filamento, do qual, já era fã antes da fama, mas vai em realmente, sinceramente, formar os usuários, com aulas de apoio, com convidados como Alexandre Araveccia e Roberto Camanho dando aulas em seus cursos. Na busca de literaturas complementares, na continuidade do ensino que realiza.

Eu tenho um grande orgulho de tê-lo conhecido e de recomendar seus cursos, dos quais, ainda espero por mais uma chance de falar novamente a seus alunos, será uma grande honra.

Digo mais, quando o Francoleno da FATEC-ZL de plásticos, quis fazer de seu trabalho de graduação a criação de uma nova liga para impressoras 3D, mais barata, mais durável, mais fácil de utilizar, quem foi o único que se dispôs foi o Anderson, que abriu espaço em sua fábrica para uma tentativa. Uma tentativa que eu próprio falhei em produzi na empresa em que eu estava na época.

 Por esse empreendedorismo, e por essa dedicação, que sou feliz em indicá-lo como um ótimo instrutor, e um ótimo host. E recomendo seus cursos. Ele é alguém que tenta, na prática, a fazer mais.

Posted on sexta-feira, agosto 11, 2017 by Emanuel Campos

No comments

8/10/2017



Re-up do nosso antigo Printing tour, agora chamado de Impresso3D Visita, sobre o curso que fiz em Israel.
Foi uma oportunidade única e com a qual pude aprender muito.

Posted on quinta-feira, agosto 10, 2017 by Emanuel Campos

No comments

8/09/2017



Eu não canso de repetir a minha esposa como admiro o que esse cara, Devin, do Maker Anything, consegue fazer mil coisas. Ele tem de tudo: Inventor Fusion, SolidWorks, um computador que funciona, várias impressoras 3D, diferentes e diversas canetas 3D, e uma criatividade e um talento inatos.

O máximo que eu fiz foi por fogo no escritório, tentado criar uma "Smooth Chamber" de acetoma para ABS, com uma cafeteira velha, acetona, isqueiro e uma ideia de girico, colocar fogo na acetona...

Agora, o gatilho para esse vídeo foi o que ele fez com uma MakerBot 2, que daria também muito bem, para fazer numa MakerBot 2X, troca de bico, troca de setup, vase mode. Eu gosto desse vídeo, pois toda vez que alguém fala que a MakerBot é engessada, eu falo da MakerBot 2X, the experimental 3D printer.

O sobrenome Experimental não se trata de uma alusão imaginária a Jimmy Hendriks "lets do some experiences", mas sim do fato de ser uma impressora raíz makers, aberta, open-source, editável, difícil de domar às vezes, mas sem dúvida a mais versátil a família, confiável, uma vez domada, para quem quer resultados com repetibilidade, e aberta, para quem quer explorar novos resultados.

Vejo muita gente reclamando da MakerBot, como quem reclama de um iPhone, sem nunca ter tido um. (eu tenho um windows phone). Gente que reclama como a empresa fechou o código aberto, sem nunca ter usado código aberto, mas que usa sim, thingiverse e grabcad, espaços e redes sociais de makers, mantidos por aqueles que compram a MakerBot, e dá dinheiro assim, a empresa do Brooklin para manter estas mesmas redes, por hora, grátis, abertas.

Sem mencionar que ela foi a pioneira em impressão 3D, para o bem ou para mal. De infantaria a boi de piranha, muitas empresas "certinhas" que vieram depois, sabiam onde não pisar por que a MakerBot foi ali e pisou, e da mesma forma, souberam como começar suas carreiras.

Minha defesa não desmerece as novas, eu mesmo gostaria de ter uma ZMorth, depois de comprar minha 2X novinha, e uma MakerBot Mini, para manter ao lado da minha CNC CupCake... afinal, Apple e MakerBot têm também isso em comum, uma linguagem visual, uma espécie de assinatura, com seus produtos, até hoje.

Posted on quarta-feira, agosto 09, 2017 by Emanuel Campos

No comments

8/08/2017




Bibliografia: saber o que alguém fala é também saber de onde ele fala. Qual base? Qual literatura lhe dá bases?

Não tenho vergonha, ao contrário, tenho muita alegria em citar as obras que me permitiram chegar onde estou, e estou sempe aberto a conhecer novas obras, a aprender mais. Estes são livros fantásticos que tenho e tive a alegria, no caso dos livros brasileiros, de conhecer seus autores.

Neri Volpato, Dr. Jorge Vicente Lopes, Cristiane Ulbrich, pessoas que admiro demais, com quem aprendi demais e que um dia, espero até, ser lembrado por elas por alguma ajuda que eu possa ter dado.

Recomendo, de coração, estas obras. Lidas, entendidas, e aprovadas.

Posted on terça-feira, agosto 08, 2017 by Emanuel Campos

No comments



Vou te falar, é um time de peso que veio depois de mim nestas terças com especialistas, me faz sentir ainda mais honrado em ter sido convidado a participar! Depois de mim, veio "só" o Roberto Camanho, e agora, bicho, vem Alexandre Aravecchia, um os maiores nomes em linux na educação, em Arduíno e em impressoras 3D, com um passado CAD que eu vou te falar, os posts-depoimentos dele formaram o melhor livro de não ficção do ano.

Renderizar CAD com um 386? Fazer cinemática com um CAD sem cinemática? Comprar briga com uma cidade inteira (dentre engenheiros/projetistas, ao menos)? Ele fez tudo isso, e muito mais!

Venha conferir na A escola de impressão 3D, do Anderson Godoy, você não vai se arrepender!


Posted on terça-feira, agosto 08, 2017 by Emanuel Campos

1 comment

8/07/2017



Posted on segunda-feira, agosto 07, 2017 by Emanuel Campos

No comments

8/04/2017





Comprei uma caneta chinesa para fazer uma impressora 3D, a ideia segundo o site que estou seguindo, é que uma caneta chinesa é mais barata e mais fácil de montar para uma impressora 3D que o hot-end, motor de tração do filamento, dutos de silicone, diminuindo assim, os custos de montagem e a complexidade da montagem. Logo mais, a TuyuBot chegará ao mercado, hehehehe




Mas talvez, com outra caneta. Estava tão convencido que estas canetas são porcarias, que quebram ao toque, que eu não imaginava que fosse ficar com ela muito tempo, só que a danada já imprimiu com PLA Wood, abs, pla e elastômero, e segue funcionando.



Em comparação com a caneta 3Doodler, ela custa um terço do preço, usa filamentos de 1,75mm, que são mais fáceis de achar, e têm mais opções que os filamentos de 3mm. É mais leve, mas se nota que a armação toda é barata e provavelmente mais frágil. Mas no final do dia, o que importa, é que ela é mais barata e mais flexível em questão de materiais, ainda que o filamento menor, e o bico menor, façam que se leve mais tempo para preencher uma forma do que levaria com a 3Doodler, e seu filamento de 3mm e.bico de impresso convencional, de 0,4mm.

Posted on sexta-feira, agosto 04, 2017 by Emanuel Campos

No comments

8/02/2017


Excelente oportunidade de conhecer a aplicação da impressora 3D na medicina, e o Guto só tem um pouco mais de estrada do que eu próprio, já que ele já era gerente da Sisgraph há algum tempo, quando eu entrei lá, em 2000... Esse conhece muito!

Posted on quarta-feira, agosto 02, 2017 by Emanuel Campos

No comments

Siga-nos!

Apoie nosso projeto